Declarações de Bruno Lage, treinador do Benfica, à RTP, após o empate (1-1) em casa do Famalicão, que valeu aos 'encarnados' a passagem à final da Taça de Portugal.

"O mais importante era passar e foi o que fizemos. Foi um jogo muito difícil, mas já prevíamos isso. Vínhamos de uma sequência de quatro jogos, com 3 dias entre eles, mas tivemos uma equipa fresca, a pressionar, e curiosamente o nosso golo nasce de algo que tínhamos preparado. Na primeira parte jogámos com alguma qualidade, tanto a atacar como a defender, e foi com justiça que chegámos ao intervalo a vencer."

"Na segunda parte tudo mudou. O Famalicão esteve melhor, nós começámos a baixar linhas, não pressionámos como gostaríamos, perante um adversário fresco, a tentar explorar a largura e a puxar a bola de um lado para o outro. Imagem disso mesmo é o golo, em que a bola vai de um corredor ao outro. E realmente temos de dizer que o Famalicão esteve bem ofensivamente e encostou-nos às cordas. Há que dar os parabéns ao Famalicão pela exibição. Da nossa parte não foi a exibição que temos vindo a fazer, especialmente no aspeto ofensivo, mas procurámos o resultado que nos permitiu chegar à final."

"Jamor? É uma final que todos querem jogar. Eu e mais uns quantos que estiveram na equipa B vão lá pela primeira vez. Agora é aguardar pelo adversário. Hoje o mais importante era sair de um resultado não tão bom, jogar perante uma excelente equipa que, tenho de dizer isto, nos colocou imensos problemas na segunda parte. Nós não pressionámos como devíamos e senti a equipa em termos emocionais a segurar o resultado baixando as linhas e ficando junto da baliza. O mais importante, mesmo assim, foi chegar à final."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.