Declarações de Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, após a vitória por 4-2 frente ao Nacional.

Jogo mais difícil do que esperava? "Foi um jogo em que entrámos de forma fantástica, uma primeira parte onde criámos situações suficientes para irmos para o intervalo com um resultado diferente. Empatam no primeiro remate que fazem à baliza, depois de termos marcado já o primeiro golo e termos tido ocasiões para aumentar a vantagem. Na segunda parte em transição fazem o 2-1, connosco a termos também ocasiões para marcar. Foram ocasiões atrás de ocasiões contra uma equipa que tentou defender o melhor possível, que é sempre perigosa nas transições ofensivas".

Mais dois golos sofridos: "Numa reação a perda bola, numa ou outra situação não estivemos tão bem nesse equilíbrio, mas foi um jogo muito bom, de grande qualidade, e sofremos dois golos. Foi um jogo um pouco estranho, nos únicos dois ou três remates do Nacional fazem dois golos, ainda tiveram o penálti e podiam ter marcado. Nacional com máxima eficácia e nós, se hoje fôssemos eficazes, o resultado seria, penso eu, histórico."

Espírito de equipa: "Em tudo o que é o trabalho coletivo, não só do setor defensivo como a reação à perda de bola, a equipa é muito solidária no campo. Um ou outro erro individual tem-nos prejudicado e nós no erro do adversário não fazemos golo, mas é um momento, nada de preocupação, vejo um espírito fantástico, não só nos que jogam como nos que entram. Jogadores estão de parabéns. Vamos descansar e pensar no jogo de sexta-feira."

Preocupado com efeitos do prolongamento no clássico? "Não. Preferia não ter ido a prolongamento, mas não [estou preocupado com os efeitos na sexta-feira]. Agora é fazer um grande jogo e ganhar contra o Benfica."

O FC Porto venceu, esta terça-feira, o Nacional por 4-2, após prolongamento, em jogo dos oitavos de final da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para os ‘quartos’ da competição. Na próxima ronda os detentores do troféu defrontam o vencedor do jogo entre o Gil Vicente, da I Liga, e o Académico de Viseu, do Campeonato de Portugal.

No Funchal, o FC Porto chegou à vantagem aos 22 minutos, com um golo do Luis Díaz, mas o Nacional deu a volta ao marcador, através de Brian Róchez (25) e Brayan Riascos (62). Com a equipa madeirense já com menos um jogador, devido à expulsão de Rui Correia (65), o recém-entrado Evanilson empatou a partida, aos 88. No prolongamento, Sérgio Oliveira devolveu a vantagem aos ‘dragões’, aos 101, e Taremi ampliou o marcador, aos 115, com o Nacional a desperdiçar uma grande penalidade aos 120.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.