"Os jogadores foram alertados durante toda a semana e o desempenho do Aliados, que é a equipa que nós conhecemos melhor da II Divisão, não nos surpreendeu", considerou Jorge Mendonça, que foi o porta-voz do Leixões na ausência do castigado José Mota.

O Leixões, ainda de acordo com Jorge Mendonça, estava à espera de "um jogo difícil" no recinto do Aliados de Lordelo, que chegou ao golo que ditou a eliminação, por Fernandes, "após dois erros individuais".

"Tentamos dar a volta, mas já não conseguimos. Mérito para o Aliados, que fez o golo, defendeu a vantagem muito bem e teve mérito na passagem à eliminatória seguinte da Taça, para a qual desejo já as maiores felicidades", disse.

O treinador do Aliados de Lordelo, José Augusto, considerou que, apesar das diferenças existentes entre ambas as equipas, "houve mérito na vitória" e consequente eliminação do Leixões da Taça de Portugal.

"O Aliados chegou a jogar ao nível do Leixões e até mesmo algumas vezes foi superior", referiu José Augusto, que mesmo sem ter equipas favoritas, não se importava de receber na próxima eliminatória o FC Porto ou o Sporting.

O treinador José Augusto considera que uma vitória na Taça moraliza os jogadores, mas o principal objectivo do Aliados de Lordelo é mesmo fazer um campeonato da II Divisão Zona Norte tranquilo.

Fernandes, guineense formado no Boavista que marcou o único golo do jogo, disse que é sempre bom marcar um golo a uma equipa da Liga, ainda por cima quando este garantiu a continuidade na prova.

"Jogamos de forma tranquila, embora o nosso objectivo continue ser o campeonato, vamos ver o que nos reserva a próxima eliminatória da Taça", adiantou Fernandes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.