Um golo bastou ao Vitória para fazer a festa da Taça.

Os vimaranenses defenderam muito, sofreram, mas o golo de Gustavo acabou por bastar para vencer um Benfica que acreditou até ao fim mas não conseguiu bater o guarda-redes Nilson.

Tal como em Guimarães para o campeonato, o Guimarães apresentou-se na Luz bem organizado e disposto a não conceder facilidades aos “encarnados”.

Começaram melhor os homens orientados por Jorge Jesus. Aos 8’, Keirrison, depois de receber de peito rematou para defesa atenta de Nilson, e aos 13’ Aimar tirou tinta do poste da baliza defendida pelo brasileiro, na marcação de um livre à entrada da área a castigar falta sobre Fábio Coentrão.

O Benfica mostrava-se mais persistente no ataque, controlando o jogo.

O Guimarães deu o primeiro sinal por Desmarets, a possibilitar a primeira defesa da noite a Moreira, mas minutos mais tarde, o guarda-redes que esta noite agarrou a titularidade não teve hipóteses de defesa perante o remate de cabeça  de Gustavo.

Aos 24 minutos, na sequência da marcação de um canto, o médio brasileiro saltou mais alto e fez o 1-0 para o Vitória.

Curiosamente, o Vitória, até aí remetido a funções mais defensivas, alegrou-se com o golo e começou a jogar mais no meio-campo encarnado.

Já o Benfica, procurou responder, mas nem sempre bem, com lances atabalhoados e que acabaram irremediavelmente nas mãos de Nilson.

Já nos minutos finais, Aimar voltou a repetir o frente a frente com Nilson, na marcação de um livre, mas voltou a não acertar, atirando a bola por cima da trave.

Mesmo à saída para o intervalo, o Guimarães voltou a assustar as bancadas da Luz. Nuno Assis cabeceia sozinho frente a Moreira mas o remate acaba por sair direitinho para as mãos do guardião “encarnado”.

A segunda parte teve apenas um sentido: o da baliza defendida pelo brasileiro Nilson.

Os homens de Guimarães defenderam muito, quase sempre todos atrás da linha da bola e contaram também com a ajuda do relógio para gastar todos os segundos possíveis.

O árbitro Elmano Santos chegou mesmo a mostrar dois amarelos por perda de tempo a jogadores do Vitória.

No tempo de jogo útil, o Benfica pressionou o Vitória mas mesmo com Saviola, Weldon e Keirrison (substituído depois por Nuno Gomes) não foi capaz de concretizar as inúmeras oportunidades de golo criadas, sobretudo nos últimos 10 minutos de jogo.

No final do encontro o trabalho de Elmano Santos foi muito contestado, com os jogadores do Benfica a queixarem-se de uma mão na área vimaranense.

O Benfica é assim eliminado da segunda competição mais importante a nível nacional, a Taça de Portugal, deixando cair um dos objectivos de Jorge Jesus para esta época, que na antevisão deste jogo tinha dito que queria estar na festa do Jamor.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.