O ministro da Presidência e Assuntos Parlamentares manifestou-se esta segunda-feira «confortável» com o trabalho que tem sido feito em matéria de segurança no Estádio Nacional, em Oeiras, com vista à realização da final da Taça de Portugal em futebol.

Luís Marques Guedes observou que este ano foi feito um «planeamento rigoroso» do evento, que permitiu «identificar as áreas de intervenção necessárias», revelando que o Estado já gastou 1,2 milhões de euros nas obras de requalificação do complexo, que vai acolher a 26 de maio o jogo decisivo da Taça, entre Benfica e Vitória de Guimarães.

«As autoridades têm trabalhado desde o início do ano em estreita colaboração quer com o Governo quer com a Federação Portuguesa de Futebol [FPF]. Este ano foi possível fazer um planeamento atempado. Foi possível identificar não apenas as áreas de intervenção necessárias, mas também fazer um planeamento rigoroso, com tempo de reflexão, para se encontrarem as melhores soluções», assinalou.

Marques Guedes destacou a importância do planeamento feito pelo grupo de trabalho que juntou FPF, autoridades governamentais, forças de segurança e Câmara Municipal de Oeiras, lembrando que já este fim de semana se vai disputar no recinto a final da Taça de Portugal de futebol feminino, um «ensaio geral» para o encontro de 26 de maio.

«A federação manifestou todo o interesse em manter o Jamor como a sala de visitas do futebol português e a acolher o jogo mais importante do ano, que é a final da Taça de Portugal. Todos estamos confortáveis com o trabalho de foi feito até ao momento, mas o grande teste passará pela realização dos jogos em si», assinalou.

O ministro da Presidência e Assuntos Parlamentares, com a pasta do Desporto, indicou que o investimento nas obras de melhoramento do Estádio Nacional, num plano de requalificação que se prolonga por três anos, se dispõe em três grandes áreas: acessibilidades, mobilidade dentro do complexo e infraestruturas.

«O grosso do investimento na área das infraestruturas é feito pelo Estado e o montante global no presente ano rondará 1,2 milhões de euros. Por parte da FPF há um investimento que estimamos que ronde os 500 mil euros e que tem a ver com tudo quanto são investimentos de natureza provisória relacionados com o jogo em si, porque esse é que é da responsabilidade da federação», indicou.

O presidente da FPF, Fernando Gomes, manifestou-se «muito satisfeito» com as «melhorias significativas» que pôde hoje observar no complexo do Estádio Nacional, reafirmando a vontade de «tudo fazer» para que a final da Taça de Portugal se continue a disputar no Jamor.

Além de Marques Guedes e Fernando Gomes, visitaram também as obras de melhoramento do recinto o secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, e o secretário de Estado Adjunto do ministro da Administração Interna, Fernando Alexandre.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.