Sérgio Conceição não acha que exista uma pressão extra por jogar uma partida da Taça de Portugal. O técnico do FC Porto acredita que a pressão é normal em todos os dias da equipa portista.

"Acho que a pressão faz parte do jogo. Acho que o jogo antes do Vitória de Setúbal, fizeram a mesma pergunta, porque o Sporting e o Benfica já tinham jogado e ganharam. Nós gostamos de ter pressão, isto faz sentido se existir pressão. É normal que os jogos a eliminar têm pressão mas não é unma pressão maior do que aquela que temos todos os dias. Eu acho que, contra o Portimonense, tivemos uma ou outra oportunidade em que perdemos o equilibrio defensivo e tivemos momentos de perda de bola. O nosso equilibrio e a nossa reação à perda tem de ser maior, porque o FC Porto não foi tão equilibrado como podiamos ser nesse momento do jogo. Temos de ter mais equilibrio e o Vitória [de Guimarães] tem jogadores que aproveitam essas oportunidades e que conseguem oportunidades em ataque rápido".

Sérgio Conceição recordou também a final da Taça de Portugal perdida contra o Sporting, naquele que é um dos dias mais tristes da sua carreira.

"Acho que sim, faz parte daquilo que é o nosso ADN, a nossa equipa, a intensidade que metemos no jogo, cada duelo por uma bola como se fosse a última. Esse envolvimento e comprometimento no jogo, essa agressividade, no bom sentido, é díficil para os adversários. E nós vimos que nos jogos teoricamente mais dificeis, o adversário tem dificuldades em manter o ritmo de jogo. Não posso dizer que não, partindo do princípio do carinho que tenho pela Taça de Portugal, é um dia diferente do futebol português. Depois, acho que perdi muito mal aquela final com o SC Braga, o percurso que fizemos nessa prova, até aos cinco minutos dessa final éramos a melhor equipa do mundo, depois o adversário em dois lances faz dois golos, mérito deles. E depois perdemos nos penalties. Foi dos dias mais tristes da minha carreira", referiu.

Quanto às opções do técnico portista, como Óliver Torres, Corona ou Felipe, Sérgio Conceição diz que conta com todos.

"Conto com toda a gente, aqui não há ninguem excluido. Não posso dizer uma coisa a voces e depois dizer uma coisa diferente no balneário. O Oliver foi importante no início da época e ainda vai ser no futuro. Quanto ao Felipe e ao Corona [expulsos nos últimos jogos]. Dou o exemplo do Felipe, eu ja tinha dito que ia dar a oportunidade ao Reyes no jogo com o Vitória de Setúbal, antes do jogo com o Mónaco. Até podia ser castigo, que eu diria, mas não foi o caso. Não há cá castigos para ninguém.".

O FC Porto recebe o Vitória de Guimarães esta quinta-feira, às 20h15, em jogo a contar para os oitavos de final da Taça de Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.