O Sporting está na final da Taça de Portugal. Em Alvalade, em jogo da segunda-mão das meias-finais da prova, os 'leões' afastaram o FC Porto nas grandes penalidades por 5-4, depois de Coates ter empatado a eliminatória nos instantes finais do tempo regulamentar. Na final a equipa de Jorge Jesus vai medir forças com o Desportivo das Aves, que afastou o Caldas, do Campeonato de Portugal, após prolongamento. Na primeira-mão no Dragão, o FC Porto tinha vencido por 1-0, golo de Soares. Esta noite, coube a Coates empatar a eliminatória, que só foi decidida nas grandes penalidades.

O resultado do jogo da primeira-mão no Dragão condicionou as ideias dos dois treinadores, principalmente Sérgio Conceição. Sabendo que entrava em campo com 1-0 na eliminatória, o técnico azul-e-branco prescindiu do 4-4-2, apostando mais num 4-3-3 mas com muita mobilidade. Em relação ao jogo do passado domingo frente ao Benfica na Luz, Conceição fez entrar Maxi Pereira no onze, adiantando Ricardo para o meio-campo. Óliver também foi titular, no lugar de Sérgio Oliveira, saindo Marega do onze.

Jesus, que recuperou Coentrão e Mathieu, também apostava num 4-3-3, sem grandes novidades, com Battaglia no posto ocupado habitualmente por William Carvalho.

E, jogando com o resultado, o FC Porto teve uma atitude mais passiva na primeira parte, queimando tempo sempre que possível, frustrando as iniciativas do Sporting e levando Alvalde ao desespero. A estratégia de Conceição ia resultando, já que o Sporting não conseguia deixar Gelson Martins e Acuña em condições de desequilibrar nas alas, onde o Sporting costuma ser forte. Os laterais, Piccini e Coentrão, estavam mais contidos, o que ajudava o FC Porto a travar as iniciativas leoninas.

Só instantes finais é que o Sporting conseguiu finalmente criar perigo, sempre por Gelson, sempre na velocidade. Aos 41 passou por Alex Telles e centrou tenso mas ninguém apareceu à boca da baliza para fazer a emenda. Dois minutos depois, após lançamento lateral rápido, entrou na área e tentou servir Bas Dost mas Felipe antecipou-se e cortou.

O intervalo chegava com o FC Porto na frente da eliminatória, graças ao golo de Tiquinho Soares no Dragão, numa primeira parte em que os azuis-e-brancos pareciam estar a controlar. Se no relvado o espetáculo não era tão apetecível como se esperava, nas bancadas a festa era outra: os adeptos do Sporting sempre a puxar pela equipa da casa, os Super Dragãoes incansáveis no apoio ao FC Porto.

O segundo tempo arranca com uma grande oportunidade para o FC Porto, aos 53 minutos. Brahimi isolou Soares mas Mathieu, a meias com Coates, conseguiram travar o remate do brasileiro. Dois minutos depois registou-se um momento caricato, com Felipe a ver amarelo por estar com a camisola errada. O central entrou para o segundo tempo com a camisola de... Soares.

A resposta do Sporting surgiu aos 60 minutos, na melhor oportunidade até então no jogo. Gelson fez uma maldade a Alex Telles, meteu em Batagglia mas o médio argentino adiantou muito a bola e acabou por chocar com Casillas, que fez logo a mancha.

Aos 65 minutos, Conceição refrescou o ataque, com a entrada de Aboubakar para o lugar de Soares. Jesus trocou de laterais, fazendo entrar Ristovski no lugar de Piccini pouco depoois. Com os treinadores a procurarem novas soluções, Jesus arriscou mais, entrando Montero para o lugar de Coentrão, baixando Acuña para lateral. No FC Porto, a ordem era aguentar o resultado, como provou a entrada de Sérgio Oliveira para o posto de Otávio.

Nos derradeiros minutos, a equipa de Jorge Jesus tentou marcar a todo o custo um golo que pudesse, pelo menos, atirar o jogo para o prolongamento. Conceição, mais interessado em manter o resultado, retirou o fatigado Oliver Torres e colocou Diego Reyes em campo, aos 83. Mas aos 85 minutos, a defensiva do FC Porto demorou imenso tempo a retirar a bola da sua área. Aproveitou Coates para atirar para o fundo da baliza, empatando a eliminatória.

O jogo, que de repente, ganhou vida, teve mais emoção aos 86 minutos, quando Jorge Sousa anulou um golo ao FC Porto por fora-de-jogo, num lance em que os 'dragões'a tiraram à barra por duas vezes: Felipe e Reyes.

Nos 30 minutos do prolongamento, destaque para uma grande oportunidade do Sporting, por Gelson, mas o internacional português rematou enrolado, para fora, aos 95. Aos 103 minutos, Bruno Fernandes teve um golo 'cantado' nos pés: tirou Alex Telles do caminho mas depois rematou muito fraco e a à figura de Casillas. No último minuto, Brahimi teve nos pés a final mas o seu remate saiu ao lado. De resto, foi meia hora de futebol muito complicado para as duas equipas, com os jogadores esgotados fisicamente, a fazerem muitos passes errados.

Nas grandes penalidades, Bruno Fernandes, Bryan Ruiz, Mathieu, Coates e Montero marcaram para o Sporting. Do FC Porto, Alex Telles, Felipe, Diego Reyes e Sérgio Oliveira marcaram mas Marcano falhou, ele que também tinha falhado o corte no golo de Coates.

Na final, o Sporting vai defrontar o Desportivo das Aves, que afastou o Caldas, após prolongamento.

Veja o resumo do jogo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.