O Sporting responsabilizou hoje o conselho de disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) pela não utilização do jogador Ristovski no jogo de quarta-feira frente ao Benfica, depois de este ter sido despenalizado em um jogo.

“É incompreensível que se refira uma alegada demora do Sporting, quando a FPF – porventura porque os serviços estarão encerrados ao fim de semana – demorou mais de 60 horas a enviar a documentação que fundamenta a decisão de despenalizar o jogador”, pode ler-se no comunicado divulgado pelo Sporting no seu ‘site’ na internet.

Segundo o clube 'leonino', tal decisão [de despenalizar o jogador] “poderia, obviamente, ter sido tomada de imediato, a partir das 20:47 do dia 04 de fevereiro”, desconhecendo a Sporting SAD por que razão foi “designada a inquirição de uma testemunha, cujo depoimento, afinal, se entendia ser inútil para a decisão que veio a ser tomada”.

O clube de Alvalade recordou a cronologia do processo e subsequente recurso, ao revelar que o mapa de castigos contendo a sanção de suspensão por dois jogos aplicada ao jogador Ristovski foi divulgado no dia 01 de fevereiro, às 16:58, e, às 17:52 do mesmo dia, foi solicitada à FPF a documentação que fundamenta a decisão.

A esse pedido, de acordo com o Sporting, respondeu a FPF, às 10:00 do dia 04 de fevereiro, tendo o recurso sido preparado e dado entrada nos serviços da FPF às 20:47 do mesmo dia.

Mais informou o Sporting que o recurso, além de ter sido julgado “sem ouvir qualquer testemunha, analisando apenas a prova videográfica apresentada”, foi interposto 75 horas e 49 minutos após a divulgação do mapa de castigos.

“Desse lapso temporal, são atribuíveis ao jogador 11 horas e 41 minutos para a solicitação dos fundamentos e a elaboração do recurso após a receção e análise daqueles. As remanescentes 64 horas e 08 minutos correspondem ao tempo que a FPF tardou em proceder ao mero envio dos elementos solicitados (que nem careciam de ser elaborados, porque já existiam), de que depende o início do prazo para recurso”, alegou o clube 'leonino' no mesmo comunicado.

Os ‘leões’ consideram igualmente "incompreensível e caricato", que a FPF aplique uma sanção de suspensão por dois jogos por mapa de castigos, com a mera indicação da norma aplicável, mas já sinta a necessidade de lavrar 23 páginas de texto para reduzir essa sanção para um jogo.

“Quantas horas tomou essa redação? Porque não comunicar de imediato ao interessado apenas o sentido da decisão, que se sabe ser urgente, e remeter os fundamentos posteriormente, se solicitados?”, questionou o clube ‘leonino’, lembrando que o primeiro jogo em que o castigo foi cumprido se realizou no domingo e que foi a FPF que tornou manifestamente impossível recorrer do castigo.

Finalmente, o Sporting informou que vai requerer à FPF uma reunião de urgência sobre o tema da adequação dos regulamentos e procedimentos à lei e sobre a necessidade de a FPF garantir o julgamento dos recursos em tempo útil.

Antes do comunicado dos ‘leões’, uma fonte oficial do conselho de disciplina da FPF considerou, em declarações à Agência Lusa, que o recurso da suspensão por dois jogos do lateral do Sporting "foi decidido com celeridade".

A mesma fonte revelou que o pedido de recurso do Sporting para o plenário do conselho de disciplina só deu entrada na segunda-feira [04 de fevereiro], às 20:47, contendo um pedido de audição de testemunhas e que o órgão disciplinar da FPF marcou para quarta-feira seguinte, às 09:30, a audiência de testemunhas pedida pelo clube, durante a qual a defesa do jogador macedónio prescindiu da sua audição, tendo o Sporting sido notificado nesse mesmo dia da redução da suspensão para um jogo, às 17:40, após reunião do CD.

O defesa do Sporting, que foi expulso aos 54 minutos do jogo com o Vitória de Setúbal (1-1), da 19.ª jornada da I Liga, falhou a receção ao Benfica (derrota por 4-2), para a ronda seguinte do campeonato, mas, em função da redução do castigo, já poderia ter sido utilizado na quarta-feira, no segundo jogo seguido com o rival lisboeta, para a Taça de Portugal, uma vez que se iniciou às 20:45.

De acordo com a mesma fonte, o clube de Alvalade foi notificado cerca de três horas antes do apito inicial do encontro da primeira mão das meias-finais da prova, que o Benfica venceu por 2-1, de que tinha sido dado provimento ao recurso feito para o plenário do conselho de disciplina.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.