O FC Porto não venceu qualquer dos três jogos disputados esta época e dirigidos pelo árbitro Luís Godinho. O juiz da Associação de Futebol de Évora voltou a estar no centro das atenções esta quarta-feira, no empate a uma bola entre o SC Braga e o FC Porto, jogo da 1.ª mão das meias-finais da Taça de Portugal.

Frente aos minhotos, o juiz do encontro expulsou Luis Díaz, depois de um lance em que o colombiano remata à baliza do SC Braga e acaba por atingir a perna direita de David Carmo, aos 70 minutos. O central minhoto sofreu uma lesão grave na sequência do lance e deverá ficar fora dos relvados por quatro meses. Alertado pelo VAR Hugo Miguel, o juiz foi rever a jogada no monitor e mostrou vermelho ao colombiano do FC Porto, gerando indignação nos azuis e brancos.

Aos 97 minutos, Matheus Uribe no FC Porto, também foi expulso com vermelho direto, deixando os 'dragões' a jogar com nove. André Horta desentendeu-se com Matheus Uribe, Ricardo Esgaio também entrou na confusão e foi atingido pelo colombiano com a cabeça. Luís Godinho mostrou-lhe logo vermelho. Foi nesse período que o SC Braga empatou.

O juiz eborense já tinha sido muito criticado pelo FC Porto após o clássico com o Benfica que terminou empatado a um bola no Dragão. Luís Godinho expulsou Taremi com vermelho direto, aos 73 minutos, após entrada feita sobre Otamendi. Inicialmente o árbitro exibiu o amarelo ao iraniano, mas depois de alertado pelo VAR Hugo Miguel e ir ele mesmo rever as imagens, acabou por mudar a cor do cartão e expulsar o jogador portista.

Nesse mesmo jogo os 'dragões' queixaram-se do critério disciplinar do árbitro, pedindo cartões amarelos aos jogadores do Benfica em várias ocasiões, principalmente em faltas sobre Corona. A equipa azul e branca pediu um segundo amarelo a Pizzi, que seria vermelho, após falta sobre Corona perto da área 'encarnada', mas o juiz assim não entendeu.

Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, enumerou aqueles que entendem serem erros de Luís Godinho no clássico com o Benfica, em prejuízo do FC Porto. Entre outros casos, os 'dragões' pediram a expulsão de David Tavares e Pizzi, algo que não aconteceu.

Curiosamente, Luís Godinho tinha sido também o último árbitro a expulsar dois jogadores do FC Porto no mesmo jogo. A 04 de janeiro de 2017, o FC Porto defrontou o Moreirense para a Taça da Liga. Danilo viu um segundo amarelo e foi expulso por Luís Godinho num lance caricato. Depois de uma falta no ataque portista, o juiz do encontro recuava de costas para o meio-campo do FC Porto quando bateu em Danilo. O juiz mostrou o segundo amarelo ao médio e expulsou-o, aos 79 minutos.

Já na parte final do mesmo jogo, aos 85 minutos, foi a vez de Brahimi ser expulso com duplo amarelo, depois de uma falta sobre um defensor da equipa da casa.

A decisão de Luís Godinho em expulsar Luís Díaz partiu do VAR Hugo Miguel, também ele envolvido numa polémica com o FC Porto. A 17 de abril de 2017, Yacine Brahimi foi expulso, já no banco, num jogo com o SC Braga e acabou por apanhar dois jogos de castigo. Na altura, foi o quarto árbitro a alertar o árbitro Hugo Miguel da situação. No relatório, o juiz escreveu que Brahimi "dirigiu-se ao quatro árbitro a gritar palavras de forma brusca e agressiva tendo encostado a sua face à face daquele", ainda que o teor do que terá dito Brahimi tenha sido "impercetível".

Luís Godinho já apitou o FC Porto 16 jogos oficiais frente ao FC Porto. O primeiro, foi exatamente a 03 de janeiro de 2017, quando expulsou Danilo e Brahimi. Desses 16 jogos, o FC Porto perdeu dois, todos para a Taça da Liga e empatou três, precisamente os últimos (1-1 com SC Braga, 1-1 com Benfica e 2-2 com Sporting).

Veja o resumo do SC Braga 1-1 FC Porto!

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.