“Sobre o que aconteceu em Guimarães há pouco a dizer, o erro foi assumido porque claramente foi o braço do Ruben Micael e não o do Alex. Eu tive a percepção que foi o jogador do Vitória, assim como todo o banco e jogadores também. Dai a minha insatisfação”, analisou André Villas-Boas, esta quinta-feira, em conferência de imprensa de antevisão do jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal, frente ao Limianos.

No entanto, o treinador do FC Porto reconheceu algumas falhas por parte da sua equipa nesse encontro da sétima jornada da I Liga: “O que aconteceu foi um abrandamento da nossa parte. Uma equipa quando vai a Guimarães tem de dominar o jogo ou não sai de lá com uma vitória”.

Na superflash e conferência de rescaldo desse mesmo desafio, André Villas-Boas demonstrou a sua indignação, não só pelo tal penálti, que depois acabaria por assumir que não existiu, mas por um “conjunto de lances”, como o fora-de-jogo mal assinalado a Falcao.

“Muitas instâncias criticaram o meu comportamento depois do Guimarães - FC Porto, principalmente as pessoas com muito moral e ética. É obvio que não gosto de me enganar, mas não penso mudar. Não tenho que me justificar perante vocês [jornalistas] e tanto me faz o que pensem de mim”, sublinhou o técnico dos Dragões.

O FC Porto – Limianos, referente à terceira eliminatória da Taça de Portugal joga-se este sábado, às 19 horas, no Estádio do Dragão. Recorde-se que os Dragões defendem o título perante a formação de Ponte de Lima da terceira divisão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.