Esta convicção foi revelada à imprensa pelo presidente do Instituto do Desporto e da Juventude (IDJ), Frederic Mbassa tendo sublinhado que esta política passa, também, por uma forte aposta nas escolas de iniciação desportiva e no desporto escolar, de modo que o País possa trabalhar para ter resultados nas selecções principais.

“Não queremos que estejamos dependentes de talentos geracionais. Nós queremos produzir talentos constantemente e Cabo Verde tem talento excepcional para todas as modalidades”, asseverou Mbassa que destacou a parceria estabelecida com a Federação Cabo-verdiana de Andebol como um exemplo a ser estabelecido com todas as federações desportivas.

O responsável do IDJ disse acreditar que assim como o andebol atingiu a qualificação para o Mundial, modalidades como futebol, basquetebol, voleibol, atletismo, de entre outras modalidades também têm capacidade para alcançar este feito, razão pela qual considerou ser fundamental apostar forte nas selecções, a partir da base.

“A formação não é só para os atletas. A formação é para todos os agentes do desporto”, assegurou Frederic Mbassa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.