O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) disse esta terça-feira que será necessária a concordância da Agência russa (Rusada) para que as audiências em relação à possível exclusão da Rússia sejam públicas.

O TAS respondeu assim ao apelo da Agência Mundial Antidopagem (AMA), que hoje tinha pedido que as audiências para determinar a exclusão ou não da Rússia dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 sejam abertas.

“O TAS recebeu de facto um pedido da AMA. Temos que consultar a Rusada nesta matéria”, disse à agência AFP o secretário-geral do Tribunal, Matthieu Reeb.

O TAS deverá tomar uma decisão definitiva em relação à exclusão por quatro anos, decidida e pronunciada em 09 de dezembro pela AMA, que sanciona a manipulação de dados nos controlos antidoping entregues pela agência russa.

No início de 2019, a entrega à AMA de milhares de dados de informação de controlos antidoping dos laboratórios de Moscovo deveriam ter encerrado o processo de doping institucionalizado no país, mas especialistas informáticos detetaram que centenas de resultados foram apagados entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019, antes de serem entregues pelas autoridades russas.

“Se existir um consenso favorável a uma audiência pública, o TAS certamente validará essa escolha”, acrescentou o secretário.

Recentemente o TAS promoveu uma audiência pública, no caso do nadador chinês Sun Yang, que arrisca uma suspensão entre dois anos, por ter destruído a própria amostra com um martelo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.