O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, apontou hoje para a neutralidade política da entidade, depois de Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Canadá terem anunciado um boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno Pequim2022.

“A neutralidade política tem sido um valor intrínseco dos Jogos Olímpicos desde o seu início e, nestes momentos de confrontação política, torna-se mais importante do que nunca”, afirmou o responsável em conferência de imprensa a partir de Lausana, na Suíça.

Thomas Bach vincou ainda “a importância de que todos os desportistas dos países membros possam participar”, assegurando que “a integridade da competição não está em risco”.

O Canadá juntou-se ao Reino Unido, Estados Unidos e Austrália e anunciou hoje, através do primeiro-ministro, Justin Trudeau, um boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim por questões relacionadas com os direitos humanos.

“Estamos profundamente perturbados com as violações dos direitos humanos por parte do Governo chinês. É importante estar em parceria com aliados quando temos uma abordagem contra a China", disse Trudeau em conferência de imprensa.

Os atletas canadianos vão participar nos jogos, mas nenhum funcionário do Governo canadiano viajará para a China, acrescentou.

O Canadá junta-se assim aos Reino Unido e Austrália, que também hoje anunciaram um boicote à competição, depois de, na segunda-feira, os Estados Unidos terem sido a primeira nação a tomar essa decisão.

Grupos de direitos humanos têm pressionado um boicote total aos Jogos de Inverno de Pequim, acusando a China de abusos de direitos contra minorias étnicas.

A competição vai decorrer entre 04 e 20 de fevereiro do próximo ano, na capital chinesa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.