Declarações após o jogo Alemanha-Portugal (29-27), de atribuição do quinto e sexto lugares do Euro2020 de andebol masculino, disputado hoje em Estocolmo.

Paulo Pereira (selecionador de Portugal): "Para nós não foi um bom jogo, porque perdemos, mas nas últimas três vezes que perdemos com Alemanha, perdemos primeiro por 11 golos, depois por três e agora por dois. Talvez o próximo possamos ganhar, se continuarmos assim. Os jogadores foram fantásticos. Hoje, não tivemos capacidade para vencer a Alemanha.

O nosso objetivo era passar à ronda principal, num grupo muito difícil, com a Noruega e a França. Conseguimos e, passo a passo, tentámos melhorar o sétimo lugar, que era a nossa melhor classificação, alcançada há 20 anos. Estamos muito felizes, porque também conseguimos isso. A Europa pode contar com Portugal, mas não podemos parar, ainda temos de fazer muito no nosso país.

Preferia estar ‘top-5', mas ficámos no ‘top-6'. Hoje, podíamos ter vencido. O resultado esteve sempre ali [equilibrado]. Tivemos duas ou três falhas que definiram tudo o que aconteceu. Arriscámos um pouco. Estamos sempre a crescer.

Não vou torcer por ninguém [na final do Euro2020, entre Espanha e Croácia, que pode condicionar o grupo de Portugal no torneio de qualificação olímpico]. Vamos aguardar. E, em função do que acontecer, vamos preparar o pré-olímpico.

Os guarda-redes da Alemanha, sobretudo o [Andreas] Wolff, são dos melhores do mundo. Mas o [Alfredo] Quintana também. O jogo de hoje era para cumprir calendário, mas acabou por ser interessante. Houve mais falhas técnicas, quando há jogo sem objetivo é natural que exista alguma falta de concentração. Houve momentos bons, mas não foram durante todo o jogo.

Não defendemos muito bem no início, permitimos remates aos nove metros com facilidade. Depois melhorámos e este foi o desfecho. Estou muito satisfeito com o que fizemos. Missão cumprida e a pensar já na próxima, o pré-olímpico. Vai ser muito duro. Vamos depender muito dos clubes. Se os jogadores estiverem preparados fisicamente, vamos poder competir com qualquer um. Mas todas as seleções estarão nas mesmas condições. Tenho uma relação excecional com clubes e treinadores. Tenho a porta aberta e vamos ter de estar mais em contacto para poder seguir de perto todos os atletas, para que se apresentem nas melhores condições.

Estamos nos seis melhores da Europa, que é como estar nos seis melhores do mundo. Acho que devíamos [ter uma grande receção à chegada a Lisboa, no domingo]. Hoje, o senhor presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, voltou a ligar. Contei e foram cinco vezes [que telefonou ao selecionador durante o Euro2020]. Tem sido extremamente atento ao que estamos a fazer e toca-me que esteja tão perto e a enviar mensagens de apoio. Hoje, disse que está extremamente orgulhoso. Ele tem essa noção, espero que todos tenham.

Espero que não fiquemos a recordar durante muito tempo. A partir de agora, para se fazer melhor, é preciso ser quinto classificado. Espero que não demore tanto tempo, porque foram 20 anos. Não podemos adormecer.

Deixei escrito no balneário: obrigado. Só. Só temos de agradecer. Estes atletas são excecionais".

A seleção portuguesa de andebol terminou o Europeu na sexta posição, depois de perder hoje com a Alemanha, por 29-27, no jogo de atribuição do quinto lugar, em Estocolmo.

Apesar da derrota frente aos germânicos, num encontro em que já perdia ao intervalo por 14-13, Portugal garantiu a sua melhor prestação de sempre em Europeus, melhorando o sétimo lugar de 2000.

A presença no encontro de atribuição do quinto posto já tinha garantido a Portugal a presença no torneio de qualificação para os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.