O número de atletas por país para o Mundial2021 de andebol, que conta com Portugal, foi alargado de 18 para 20, por recomendação da equipa de prevenção da COVID-19 da Federação Internacional de Andebol (IHF), foi hoje anunciado.

Para o Mundial2021, a decorrer no Egito, de 13 a 31 de janeiro de 2021, cada uma das 32 seleções participantes poderá inscrever 20 atletas na lista definitiva, e não 18 como previsto, mas apenas 16 poderão figurar no boletim de jogo.

A medida foi tomada para fornecer às seleções um conjunto maior de alternativas no caso de surgir qualquer problema de saúde. Além disso, a disposição visa evitar lesões em jogadores resultantes da redução do número de treinos e jogos devido à pandemia.

A decisão de aumentar a lista aplica-se apenas ao 27.º Campeonato Mundial masculino, no Egito, e os custos dos jogadores adicionais por seleção serão cobertos pela Federação Internacional de Andebol (IHF).

Além disso, refere a IHF no seu sítio, o número máximo de substituições na lista, anteriormente em três para cada seleção a competir num Mundial, não se aplicará em nenhum caso de covid-19.

Esta medida garante que nenhuma seleção seja forçada a tomar decisões inseguras no caso de um teste positivo à covid-19 e que os jogadores possam ser substituídos mais facilmente.

Portugal, que regressa a uma fase final de um Mundial 18 anos após a última presença, na altura como anfitrião, integra o grupo F com as seleções da Islândia, Argélia e Marrocos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.