A participação portuguesa nos Europeus de atletismo de Munique, que se saldou na conquista de duas medalhas, “foi positiva e dentro das expectativas", considerou hoje o diretor-técnico nacional (DTN) da modalidade.

“Foi dentro das nossas expectativas, pois esperávamos conquistar entre duas a quatro medalhas. E estivemos perto do máximo, pois a Patrícia Mamona ficou a quatro centímetros do pódio, e a própria Liliana Cá, que na qualificação esteve muito bem, não conseguiu voltar a fazer um lançamento daquela dimensão, que poderia dar uma medalha”, disse José Santos, em declarações divulgadas pela Federação Portuguesa de Atletismo (FPA).

Em Munique, Portugal apresentou-se com 44 atletas, fechando a competição com uma medalha de ouro, conseguida por Pedro Pichardo, no triplo salto, e outra de prata, por Auriol Dongmo, no lançamento do peso, além de quatro finalistas: Patrícia Mamona foi quinta no triplo salto; Liliana Cá foi quinta no lançamento do disco; Tiago Pereira e Ana Cabecinha foram oitavos classificados no ‘triplo’ e nos 20 quilómetros marcha, respetivamente.

“É verdade que alguns atletas chegaram aqui não na sua melhor forma, mas esta foi a 24.ª presença portuguesa em 25 edições destes campeonatos. Este ano conseguimos preencher uma lacuna importante, faltavam-nos registar cinco presenças em disciplinas nos Europeus, conseguimos colmatar três: altura, dardo e 4x400 metros masculinos. Falta-nos ainda ter alguém na altura e no dardo femininos”, referiu José Santos.

O responsável técnico destacou a prestação da estafeta 4x400 metros, em masculinos, cuja equipa foi composta por João Coelho, Mauro Pereira, Ericsson Tavares e Ricardo dos Santos, que bateu o recorde de Portugal que estava perto de cumprir 27 anos de existência.

“Um excelente resultado, pois viemos para Munique com o 16.º tempo e terminámos em 10.º no geral, com a 10.ª melhor marca europeia do ano. Uma equipa jovem, que merece ser acompanhada, pois tem capacidade para chegar mais longe. Os atletas estão motivados e eu estou motivado, tal como os seus treinadores”, disse.

O DTN considera essencial pedir aos governante que olhem para o atletismo “de outra forma”: “Nós já demos muitas alegrias a Portugal, sabemos que o nosso país tem dificuldades em termos económicos, mas necessitamos de mais apoios para prepararmos as nossas seleções com mais qualidade”.

Os Europeus de atletismo decorreram integrados nos campeonatos continentais multidesportos, em Munique, que reuniram nove modalidades e que terminaram no domingo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.