O atleta Miguel Marques, vencedor da 47.ª edição da corrida de São Silvestre da Amadora, afirmou hoje que quer manter-se na senda das vitórias, enquanto Mariana Machado mostrou-se satisfeita por ter subido ao primeiro lugar do pódio.

“Estamos imparáveis. Foram as primeiras duas São Silvestres, dos últimos anos, que ganhei. Está a correr bem, mas isto é uma linha que sobe e desce. Vamos lá ver, espero que não desça tão rápido. Foi uma prova difícil. Estava muito vento. Em termos de prova tática, dificulta muito. Tivemos um ataque muito cedo de Samuel Freire, o que nos fez ter de atacar a prova para conseguir alcançar o grupo. A prova deste ano foi muito competitiva e deveras difícil”, disse Miguel Marques, que concluiu a prova de 10 quilómetros em 29.49 minutos.

Para 2023, o atleta do Sporting, que completa 28 anos em 10 de janeiro, espera mais que aquilo que conseguiu em 2022.

“Tudo mais, melhores marcas, mais vitórias e espero conseguir continuar a subir”, adiantou.

Para Mariana Machado, que registou o tempo de 33.17 minutos, a vitória de hoje reveste-se de um caráter especial. Afinal, a mãe, Albertina Machado, também venceu a prova, e por duas vezes (1987 e 1988).

“É uma prova muito especial. Há muitos anos que pensava participar. Sempre ouvi falar da São Silvestre da Amadora desde pequenina. É uma São Silvestre com história, onde já correram vários atletas de nível internacional e várias estrelas do nosso atletismo, inclusive a minha mãe. Sempre me despertou muito interesse. Felizmente, consegui cá estar. Consegui viver o espírito desta competição. É realmente especial”, garantiu

Mariana Machado espera que no próximo ano o sucesso se mantenha.

“Terminei o ano a vencer. Espero continuar a vencer, mas acima de tudo espero ter saúde para correr atrás dos meus sonhos”, concluiu.

Quem não passou despercebida do público foi Rosa Mota. Fortemente ovacionada e aplaudida, a campeã olímpica e mundial da maratona, de 64 anos, concluiu a corrida ao fim de 42.18 minutos e respirava mais tranquilidade que a maioria dos atletas presentes, a maior parte amadores.

“É uma sensação ótima ter corrido hoje na São Silvestre da Amadora. Quero agradecer à organização por voltar a fazer esta corrida, que é muito especial. Também quero agradecer a todos os parceiros e patrocinadores que ajudam. E também um agradecimento à Câmara Municipal da Amadora e abraço com muito carinho a este público que tanto nos aplaude e nos incentiva. Quase ficamos com a responsabilidade de estar cá novamente no próximo ano. É um calor humano muito grande, as pessoas aplaudem-nos do primeiro ao último minuto”, disse, emocionada.

Deixando entender que em 2023 deverá voltar a participar, Rosa Mota deseja antes de mais “muita saúde e paz para o mundo inteiro”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.