O presidente da Federação de Triatlo de Portugal, Fernando Feição, assumiu hoje que questões de comunicação podem ter estado na base da rescisão contratual com o diretor técnico nacional Hugo Ribeiro.

«A federação está satisfeita com os resultados. A mensagem é que provavelmente não foi a mais adequada. A perceção pública, se calhar...» assumiu, à Lusa, sem especificar.

Fernando Feijão garante que a relação pessoal continuará «ótima»: «Não falhou. Nada há a apontar. O Hugo é uma pessoa bastante organizada, por quem tenho muita consideração e estima, com qualidades técnicas e humanas reconhecidas, mas achamos que as coisas não estavam a correr bem».

«As coisas não estavam a correr a 100 por cento, falamos e achamos que era a melhor solução. Não valia a pena prolongar mais a situação. Ele continua nosso amigo e se for preciso continuamos a contar com ele», revela.

O dirigente garante que não sofreu «pressões» externas para esta solução e revela que «após o mundial – e uma conversa com os atletas e técnicos da federação – será revelada a solução para o futuro, mantendo-se o projeto desportivo».

Questionado sobre se a sensibilidade dos atletas será importante na solução futura, foi claro: «Sim, claro. São a nossa razão de existir e eles sabem disso. O João Pereira, João Silva, Miguel Arraiolos, etc. sabem que estou do lado deles e eles estão do meu, de certeza absoluta».

«Faltam três/quatro dias para os Mundiais. Temos de fazer todos o nosso melhor, pois temos todo o país a olhar para nós. Os atletas querem fazer o melhor e vamos estar ao lado deles», conclui.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.