Os atletas quenianos Davis Kiplangat, que representa o Sporting, e Lydia Lagat venceram hoje as provas masculina e feminina do 43.º Cross Internacional das Amendoeiras, disputado na pista das Açoteias, em Albufeira.

Em masculinos, Kiplangat e o compatriota Richard Yator distanciaram-se dos adversários logo nos metros iniciais e, no final da primeira volta, já lideravam juntos, cenário que se manteve até ao fim dos 9.230 metros de percurso, com o sportinguista a vencer a discussão ao 'sprint'.

Fora da luta pela vitória, o benfiquista Rui Pinto passou boa parte da corrida no terceiro lugar, que acabaria por perder já na última volta, perante o 'forcing' do atleta eritreu Yemane Haileselassie.

"A posição final não era a principal preocupação. O objetivo era manter um ritmo forte ao longo de toda a corrida, seguir próximo dos africanos, e creio que consegui", disse o atleta do Benfica sobre a prova.

O próximo objetivo dos 'encarnados' passa pelo campeonato nacional de corta-mato longo marcado para Vale de Cambra, no distrito de Aveiro, em 15 de março, onde tentarão quebrar o ciclo de quatro títulos do Sporting.

"Vai ser uma luta dura. Vou tentar dar o contributo possível. Depois dessa prova, a nível pessoal, espero fazer uma marca que me permita a qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio na maratona", apontou Rui Pinto.

De olho na competição nacional está o Sporting, que surgiu no Algarve com uma forte comitiva, na preparação para tentar revalidar o título.

"O Sporting leva quatro títulos seguidos e a nossa perspetiva é somar mais um. Vai ser complicado, porque vamos ter pela frente adversários complicados", comentou Rui Teixeira, duplo campeão nacional de corta-mato, e quinto classificado nas Açoteias.

Em femininos, a vitória pertenceu à queniana Lydia Lagat, que se distanciou das adversárias na primeira de três voltas e concluiu o percurso de 6.090 metros em 20.20 minutos.

A sportinguista Carla Salomé Rocha tentou segurar o segundo lugar, mas, na última volta, foi ultrapassada pela ainda júnior Rahel Daniel (Eritreia), enquanto a colega de equipa Catarina Ribeiro foi quarta classificada.

"É um balanço positivo. Tentei dar o máximo que consegui e no fim acabei por pagar a fatura. Estou satisfeita com o pódio e com a prestação, visando o campeonato nacional, onde queremos revalidar o título", disse a terceira classificada, que a nível pessoal também vai tentar apurar-se para Tóquio2020 na maratona.

Em juniores, os vencedores foram Etson Barros (Benfica), em masculinos, e Cátia Pereira (Sporting), em femininos.

Classificações:

- Absolutos masculinos: 1.º, Davis Kiplangat (Sporting/Quénia), 27.11 minutos; 2.º, Richard Yator (Quénia), 27.12 minutos; 3.º, Yemane Haileselassie (Eritreia), 28.33 minutos; 4.º, Rui Pinto (Benfica), 28.38 minutos; 5.º, Rui Teixeira (Sporting), 29.11 minutos (?).

- Absolutos femininos: 1.ª, Lydia Lagat (Quénia), 20.20 minutos; 2.ª, Rahel Daniel (Eritreia), 20.48 minutos; 3.ª, Carla Salomé Rocha (Sporting), 20.59 minutos; 4.ª, Catarina Ribeiro (Sporting), 21.39 minutos; 5.ª, Katsiaryna Karneyenka (Bielorrússia), 21.46 minutos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.