Salwa Eid Naser, do Bahrain, foi a grande figura desta quinta-feira nos Mundiais de atletismo de Doha, pela vitória espetacular nos 400 metros, com a marca de 48,14 segundos, terceira melhor da história.

Salwa, de apenas 21 anos, deu nas vistas há dois anos, quando foi inesperada segunda classificada, mas agora deixou todos estarrecidos, com um 'tempo canhão' só superado pela alemã de leste Marita Koch e pela checa Jarmila Kratochvilová, ainda na década de 80.

Ainda há não muito tempo, como junior, Salwa Eid Naser corria de hijab, mas agora tudo foi diferente e apareceu com um equipamento tradicional, sem nada que a impedisse de ir para o feito que conseguiu - primeira campeã asiática nos 400 metros, mais jovem campeã e recordista continental.

A grande favorita, Shaunae Miller-Uibo, das Bahamas, foi remetida para segunda, só que também ela com uma magnífica prova e a subida a sexta melhor de sempre, com 48,37, novo recorde das Américas. A melhor prova de 400 metros desde há três décadas teve um pódio a fechar em 49,47, com a jamaicana Shericka Jackson.

O registo dos 400 metros acabou por deixar para segundo plano o fim das provas dos 'superatletas', o heptatlo e o decatlo, onde 'caiu com estrondo' o francês Kevin Mayer, campeão e recordista do mundo, que se lesionou.

Shaunae Miller-Uibo assistiu da bancada à derrota do seu marido, o estónio Maicel Uibo, que entrou na frente para os 1.500 metros nas não resistiu ao 'assalto final' do alemão Niklas Kaul, enquanto no heptatlo é a britânica Katatina Johnson-Thompson a nova campeã, sem contestação eficaz da anterior 'rainha', a belga Nafissatou Thiam, agora segunda.

Tudo se relançou no decatlo com a desistência de Kevin Mayer, quando liderava. Mas problemas no joelho direito e tendão de Aquiles esquerdo impediram que conseguisse pontuar no salto com vara, não lhe restando outra opção a não ser a desistência.

Para Maicel Uibo ficava aberto o caminho para um título com que não pensava e chegou mesmo à frente do concurso à nona prova.

Nos 1.500 metros, Niklas Kaul 'embalou' para uma vitória isoladíssimo, recuperou muitos pontos e fechou o concurso com 8.691, contra 8.604 de Uibo, ambos recordes pessoais. O terceiro foi o canadiano Damian Warner, com 8.529.

A exemplo de Salwa Eid Naser, Niklas Kaul tem 21 anos e é também um sério candidato a figura de proa nos próximos anos, atendendo aos seus sucessos nos escalões mais jovens.

Também Katarina Johnson-Thompson está a confirmar no escalão absoluto a campeã que foi enquanto juvenil. A campeã das combinadas fez em Doha 6.981 pontos, novo recorde britânico (deixa para trás Jessica Ennis-Hill, tricampeã mundial entre 2009 e 2015) e sexto registo de todos os tempos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.