A ausência do Benfica, principal opositor do clube 'verde e branco', indicava já que o Sporting deveria manter com facilidade o título em femininos e reconquistar aos ‘encarnados’ a liderança masculina, quando as contas finais e a atribuição dos títulos forem feitas.

Para esta edição, a Federação Portuguesa de Atletismo adotou um formato excecional, ditado pela pandemia de covid-19, que não incluiu fase de apuramento e fase final com os oito melhores, mas sim uma fase única, com os primeiros 16 do ano passado.

Oito equipas, entre as quais quatro do ‘top 5’ do ano passado (falta o Benfica), já competiram e as outras oito competem entre 27 e 28 de março, pelo que é quase certo que o Sporting conquista este ano a 'dobradinha', mesmo prescindindo de algumas das suas figuras de proa, como Patrícia Mamona, recente campeã europeia de triplo salto em pista coberta.

As contas só ficarão finalizadas no último domingo do mês, com o 'cruzamento' de todas as marcas, mas, atendendo a que a grande maioria dos atletas mais cotados já competiu, os lugares de pódio não deverão ser alterados.

Em femininos, o Sporting tem 201 pontos, contra 173 do Jardim da Serra, 172 do Fátima, 168,5 da Juventude Vidigalense, 166,5 do Sporting de Braga, 140,5 do Eirense, 140 do Água de Pena e 139 do Grecas.

A liderança masculina também é dos 'leões', com 186 pontos. Seguem-se Juventude Vidigalense (164), Sporting de Braga (153), Casa do Benfica de Faro (150,5), Seia (148), Grecas (137), Água de Pena (120,5), Jardim da Serra (113), e Estreito (15).

A classificação atual apenas reflete as marcas dos clubes que já competiram, sendo que o Estreito somente teve um atleta em ação, Pedro Buaró, vencedor do salto com vara. Os outros competem dentro de duas semanas.

A última competição nacional da época 'indoor' de 2021 continuou marcada pela ausência de várias figuras de topo, destacando-se hoje Patrícia Mamona e a bracarense Mariana Machado, finalista dos 3.000 metros nos Europeus de Torun.

A principal 'atração' acabou por ser o sportinguista Carlos Nascimento, quinto nos 60 metros nos Europeus e hoje primeiro em Pombal, com 6,71 segundos.

Mesmo sem a sua 'estrela' principal dos saltos, o Sporting assegurou o triplo, com Evelise Veiga, que saltou 13,58. A mesma atleta já tinha sido segunda no comprimento, só batida por Agate de Sousa, atleta de São Tomé ao serviço do Fátima, que atingiu os 6,38.

O Sporting também foi primeiro no setor feminino nos 60 metros (Rosalina Santos), 800 metros (Rita Figueiredo), e estafeta 4x400 metros. Ganhou ainda, nos masculinos, em 800 metros (Nuno Pereira), 3.000 metros (Fernando Serrão) e estafeta 4x400 metros.

Além do comprimento, escaparam ao Sporting no setor feminino os 60 metros barreiras (Raquel Lourenço, Juventude Vidigalense) e 3.000 metros (Joana Soares, Jardim da Serra).

A Juventude Vidigalense foi por três vezes primeira no setor masculino - 60 metros barreiras (Rafael Correia), comprimento (André Pimenta) e triplo (Oleks Lyashchenko).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.