A equipa do Petro de Luanda poderá contar com dois reforços estrangeiros na primeira janela da Liga Africana de Basquetebol (Bal League), ainda sem data de início de disputa, em Dakar, no Senegal.

Sem citar nomes, o vice-presidente do clube angolano, Artur Barros, em declarações à Angop, adiantou que os referidos jogadores de nacionalidade norte-americana visam dar maior consistência ao plantel, tendo em conta o carácter da competição e a necessidade de superação dos adversários.

O responsável do campeão angolano acrescentou que recentemente manteve contacto com a organização da prova continental, que informou que o seu arranque está a depender de uma decisão da NBA, patrocinadora, bem como a evolução da Pandemia do Covid-19, que obrigou o seu adiamento.

Quanto ao treinador camaronês Lazare Adingono, cujo contrato termina no próximo dia 30, o dirigente petrolífero confirmou a existência de conversações, para a sua renovação, mas por apenas um ano, contrariado pelo técnico, que defende dois.

Em caso de não entendimento, Artur Barros admitiu o recurso a outro treinador nacional ou estrangeiro, já que existe uma lista enorme de candidatos interessados em orientar a equipa do Petro, que conta com os seus principais jogadores.

O arranque da primeira janela da Bal League, inicialmente previsto para o dia 13 de Março, na capital senegalesa, foi adiado "sine die" devido ao novo coronavirus - Covid-19.

De acordo com uma nota, assinada pelo senegalês Amadou Gallo, presidente da competição, a medida é preventiva, em função da propagação alarmante de casos pelo mundo.

O Senegal, que devia albergar a primeira fase de 13 a 15 do mesmo mês, é um dos países africanos com muitos casos registados com o vírus.

A segunda etapa da competição estava agendada entre 10 a 12 de Abril em Luanda (Angola) e a terceira e última da fase regular em Marrocos, de 8 a 10 de Maio.

O Petro de Luanda integra o grupo denominado Zara, juntamente com o GS Petroliers da Argélia, AS Police (Mali), GMN Basket (Madagáscar), AS Douanes (Senegal) e AS Salé (Marrocos).

Já na série do Ferroviário de Maputo (Nilo), constam River Hoopers (Nigéria), US Monastir (Tunísia), Zamalek (Egipto), FAP (Camarões) e Patriots (Rwanda).

As formações qualificadas para a  BAL disputarão cinco jogos cada, num total de 30, em sete cidades africanas: Cairo (Egito), Dacar (Senegal), Lagos (Nigéria), Luanda (Angola), Rabat (Marrocos) e Monastir.

Os quartos-de-final aconteceria nos dias 26 e 27 de Maio no Rwanda e posteriormente as quatro finalistas defrontar-se-iam no sistema “final-four” de 29 a 31 de Maio, também no Rwanda, sagrando-se campeã a equipa que somar maior número de vitórias.

O surto de Covid-19, detectado em Dezembro de 2019, na China, e que pode causar infecções respiratórias como pneumonia, causou já milhares de mortos em todo mundo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado", que obrigou os Estados ao cancelamento das actividades desportivas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.