Os Phoenix Suns entraram na melhor forma terça-feira na final da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), ao vencerem em casa os Milwaukee Bucks, já com Giannis Antetokounmpo, por 118-105, num jogo que lideraram desde meio do segundo período.

O base Chris Paul, que já tinha sido a grande figura do jogo decisivo da final da Conferência Oeste com os Los Angeles Clippers, entrou em grande na sua primeira final, ao somar 32 pontos, com 12 em 19 nos ‘tiros’ de campo, e nove assistências.

O ‘3’ dos Suns foi determinante no terceiro período, no qual os anfitriões chegaram a uma vantagem de 20 pontos (88-68, 90-70 e 92-72), margem que, depois, souberam gerir com mestria, mesmo quando a mesma desceu para os sete (101-94).

Devin Booker, com 27 pontos e seis assistências, e Deandre Ayton, com 22 pontos e 19 ressaltos, também estiveram em excelente plano na equipa da casa, enquanto do banco Cameron Johnson e Cameron Payne trouxeram cada qual 10 pontos.

As únicas más notícias foram a lesão, muito cedo, do croata Dario Saric, e o jogo ‘falhado’, em termos ofensivos, de Jae Crowder, que só marcou um ponto, em 32.55 minutos, tendo falhado os oito ‘tiros’ de campo tentados.

Nos Bucks, o melhor foi Khris Middleton, que terminou o embate com 29 pontos, sete ressaltos e quatro assistências, secundado pelo regressado grego Giannis Antetokounmpo, autor de 20 pontos e 17 ressaltos.

Por seu lado, Brook Lopez contribuiu com 17 pontos e seis ressaltos, enquanto Jrue Holiday totalizou 10 pontos, nove assistências e sete ressaltos.

O encontro foi muito equilibrado no primeiro parcial, em que diferença máximo foram os quatro pontos com que fechou (30-26), para, no segundo, os Bucks voltarem a igualar (45-45).

Depois disso, os Suns estiveram sempre na liderança, tendo ‘virado’ para a segunda parte com oito à maior (57-49) e fechado o terceiro período a vencer por 17 (92-75), para, no quarto, resistirem à última ameaça dos forasteiros (101-94).

Os Suns perseguem o seu primeiro título, depois dos desaires nas finais de 1976 (2-4 com os Boston Celtics) e 1993 (2-4 com os Chicago Bulls, de Michael Jordan), e os Bucks o segundo, após a vitória de 1971 (4-0 aos Baltimore Bullets) e o desaire no embate decisivo de 1974 (3-4 com os Boston Celtics).

A final da edição 2020/21 da NBA, disputada à melhor de sete encontros, prossegue na quinta-feira, de novo em Phoenix.

Em Milwaukee, jogo 3 é no domingo e o 4 em 14 de julho (quarta-feira). Se necessário, o quinto jogo é no dia 17 (sábado), em Phoenix, o sexto em 20 (terça-feira), em Milwaukee, e o sétimo, a ‘negra’, em 22 (quinta-feira), de novo no Arizona.

Jogo na Phoenix Suns Arena, em Phoenix, Arizona.

Phoenix Suns - Milwaukee Bucks, 118-105 (1-0).

Ao intervalo: 57-49.

Sob a arbitragem de Marc Davis, Pat Fraher e Josh Tiven, as equipas alinharam:

- Phoenix Suns: Chris Paul (32), Devin Booker (27), Mikal Bridges (14), Jae Crowder (1) e Deandre Ayton (22). Jogaram ainda Cameron Payne (10), Dario Saric, Torrey Craig (2), Cameron Johnson (10) e Frank Kaminsky.

Treinador: Monty Williams.

- Milwaukee Bucks: Jrue Holiday (10), Khris Middleton (29), PJ Tucker (7), Giannis Antetokounmpo (20) e Brook Lopez (17). Jogaram ainda Bobby Portis (5), Pat Connaughton (8), Bryn Forbes (6) e Jeff Teague (3).

Treinador: Mike Budenholzer.

Marcha do marcador: 30-26 (primeiro período), 57-49 (intervalo), 92-75 (terceiro período) e 118-105 (resultado final).

Assistência: 16.557 espetadores.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.