Os Los Angeles Lakers selaram domingo a conquista do 17.º título de campeões da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), ao baterem os Miami Heat por 106-93, num sexto jogo da final que resolveram na primeira parte.

No segundo ‘match point’, depois da derrota por 111-108 no quinto jogo, os Lakers só precisaram de metade do jogo para ‘dizimarem’ uns irreconhecíveis Heat, ao chegarem ao intervalo com ‘imensos’ 28 pontos à maior (64-36).

Com a segunda maior diferença ao intervalo de um jogo da história das ‘finals’, os Lakers já não ‘poderiam’ perder mais esta oportunidade e não perderam, igualando o recorde dos Boston Celtics no ano da trágica morte do seu ‘eterno’ Kobe Bryant.

A etapa inicial tudo decidiu, num misto de mérito dos Lakers, com Rajon Rondo (13 pontos) e Kentavious Caldwell-Pope (15) em ‘grande’, e demérito dos Heat, com míseros 34 pontos, culpa de 34,3% nos ‘tiros’ de campo (13 de 38), inacreditáveis 41,7% nos lances livres (cinco em 12) e nove ‘turnovers’.

Depois, com tudo resolvido, a segunda parte foi uma mera formalidade, com LeBron James a aproveitar para somar novo ‘triplo duplo’ (28 pontos, 14 ressaltos e 10 assistências) e Anthony Davis um ‘duplo duplo’ (19 pontos e 15 ressaltos).

James, de 35 anos, somou o quinto título, em 10 finais, enquanto Davis, de 27, colecionou o primeiro, na primeira presença.

Nos Heat, Bam Adebayo somou 25 pontos e 10 ressaltos, mas só apareceu com o jogo decidido, enquanto Jimmy Butler esteve muito longe das duas jornadas de sonho que protagonizou na final, ficando-se por 12 pontos, oito assistências e sete ressaltos.

Com Alex Caruso no ‘cinco’ dos Lakers, em vez de Dwight Howard, o jogo começou equilibrado, com várias igualdades, mas com os californianos a fecharem melhor o primeiro período, oito pontos à maior (28-20), apesar do regresso de Goran Dragic nos Heat.

O base esloveno, ausente desde o primeiro embate, voltou, mas não conseguiu contrariar a tendência que o jogo começava a ganhar e se traduziu, no marcador, numa primeira vantagem superior a 10 pontos (35-23, com dois minutos jogados no segundo período).

Com Rondo em ‘grande’, o avanço cresceu para 15 pontos (42-27), depois apareceu Davis a colocá-la em 20 (54-34) e, sobre o final da primeira parte, com Kentavious Caldwell-Pope imparável, a diferença ‘cresceu’ para impensáveis 28 (64-36).

A segunda parte, até porque os Heat reentraram com a mesma desinspiração, não teve história, com o jogo a ‘arrastar-se’, mais do que decidido, até ao final, com a vantagem a chegar a ‘escandalosos’ 34 pontos (82-48).

Nos instantes finais, o conjunto de Erik Spoelstra conseguiu reduzir a desvantagem para 12 pontos, muito ‘enganadores’, tal foi a superioridade dos Lakers. O jogo há muito tinha terminado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.