Há mais um caso de violência policial a ensombrar os EUA. No passado domingo, Jacob Blake, um afro-americano de 29 anos, foi baleado com sete tiros pela polícia, em Kenosha, no Wisconsin (EUA). Blake terá ignorado os avisos dos agentes para que parasse, quando se dirigia para a sua viatura. De acordo com a CNN, (confirmado depois pelo advogado da família, Bem Crump), os três filhos de Blake (com três, cinco e oito anos) se encontravam dentro do carro, no momento dos disparos.

Diz a agência Reuters que a polícia de Kenosha foi chamada ao local devido a "incidente doméstico". Blake estaria a tentar separar as pessoas envolvidas numa discussão quando foi abordado pelos agentes. De acordo com os relatos, a polícia terá tentado usar um taser para parar Blake, quando este se dirigia para a sua viatura.

Este caso gerou uma enorme onda de protestos em Wisconsin e indignação na NBA, que está fechada numa 'bolha' em Orlando, na disputa dos playoff. O basquetebolista Donovan Mitchell, estrela dos Utah Jazz, não conteve a fúria ao ver as imagens de Blake a ser baleado pelas costas por um polícia branco.

"Que se lixe o playoff! Isto é um problema real. Queremos justiça. É uma loucura, não tenho palavras. Por isto não nos sentimos seguros", lembrou o jogador referindo-se aos afro-americanos.

Mike Budenholzer, treinador dos Milwaukee Bucks, também não escondeu a sua preocupação por mais um caso de violência policial contra os negros.

"O Blake vai estar sempre na mente dos jogadores, técnicos e dirigentes durante a partida de hoje. Temos um jogo muito importante mas o que sucedeu é mais importante do que qualquer encontro ou treino aqui em Orlando", lembrou.

Foi aberto uma investigação para apurar o que terá acontecido. Os dois agentes foram suspensos.

Blake foi transportado para um hospital local, onde foi submetido a várias intervenções cirúrgicas. Neste momento não corre perigo de vida.

Este caso gerou uma onda de protestos no local onde Blake foi baleado mas também em todo o estado. Tony Evers, governador do Wisconsin, destacou a Guarda Nacional para ajudar a controlar a violência das manifestações e decretou o recolher obrigatório.

Em maio, o afro-americano George Floyd, de 46 anos, morreu em Minneapolis, sufocado por um polícia branco, apesar de ter implorado várias vezes, dizendo que não conseguia respirar. A morte, filmada por transeuntes e divulgada nas redes sociais, provocou uma onda de protestos contra o racismo e a violência policial que se propagou por todo o mundo, com manifestações em que a palavra de ordem foi a frase "Black Lives Mater" ("As vidas dos negros importam").

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.