O britânico Brian Cookson apresentou hoje a sua candidatura à presidência da União Ciclista Internacional (UCI), defendendo uma maior fiabilidade na luta antidopagem.

«É necessário restaurar a confiança. O doping é o principal desafio para a modalidade e a UCI não tem a confiança da Agência Mundial Antidopagem (AMA) ou de agências nacionais como a Agência antidopagem norte-americana (USADA) ou a agência antidopagem francesa (AFLD)», disse o presidente da federação britânica de ciclismo, na conferência de imprensa organizada simbolicamente em Paris, onde a UCI nasceu no início do século XX.

Brian Cookson garantiu que é preciso dar às pessoas razões para acreditar que o futuro será diferente do passado, prometendo que a sua primeira medida, em caso de eleição, será criar uma unidade antidopagem «completamente independente, física e politicamente separada da UCI».

O britânico de 61 anos é o único candidato declarado contra o irlandês Pat McQuaid, presidente da instituição desde setembro de 2005.
Cookson defendeu-se ainda de uma acusação do atual presidente, que sugeriu que a sua candidatura tem financiamento russo.

«Não sou manipulado por ninguém. Estabeleci contactos com pessoas de todo o mundo, na Rússia e fora dela. O meu balanço [como presidente do British Cycling] fala por mim», concluiu.

A eleição está prevista para o fim de setembro, à margem dos Campeonatos do Mundo de Florença, Itália.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.