O ex-ciclista Miguel Indurain, vencedor de cinco edições da Volta a França, observou hoje que a modalidade tem “um grande desafio para enfrentar” devido à pandemia de COVID-19, considerando que o regresso das provas profissionais será “mais complicado”.

“O ciclismo amador está a regressar, mas quanto ao profissional parece-me que será mais complicado, porque os atletas vivem em países diferentes. Existem muitas incógnitas, como competir sem a presença de público, o que se assemelhará a um treino”, afirmou.

Indurain, que falava após ter participado numa prova velocipédica amadora, realizada sob fortes restrições, lembrou que “o ciclismo sobrevive graças aos patrocinadores e se as empresas não estiverem financeiramente saudáveis, os próximos tempos serão difíceis” para a modalidade".

A pandemia de COVID-19 já provocou quase 423 mil mortos e infetou mais de 7,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP, e Espanha é um dos países mais afetados, com 27.136 mortos e quase 242 mil casos confirmados de infeção.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.