Um surto de casos de Covid-19 continua a causar danos no pelotão da Volta à Suíça, que registou hoje a baixa do líder Aleksandr Vlasov, da Bora-Hansgrohe, e vários outros ciclistas, anunciou a organização.

O líder da geral individual Aleksandr Vlasov testou positivo esta manhã, um dia depois de vencer a quinta etapa, disse a equipa do piloto russo, tal como o seu companheiro de equipa na Bora-Hansgrohe, o alemão Anton Palzer.

O surto de Covid-19 provocou as desistências das equipas Alpecin-Fenix e Bahrain Victorious, um dia depois da Jumbo-Visma ter deixado a prova, que conta com os ciclistas portugueses Nelson Oliveira (Movistar) e Rui Costa (UAE-Emirates).

“No interesse da saúde de todos os ciclistas e colaboradores [da Volta à Suíça], deixar a corrida é considerada a decisão mais sensata pela direção da equipa e pela equipa médica”, refere em comunicado a Alpecin-Fenix.

Quatro testes positivos, incluindo o do colombiano Rigoberto Urán, medalha de prata olímpica em estrada em 2012, foram detetados entre os realizados esta manhã pelos ciclistas presentes na Volta à Suíça, que termina no domingo.

“Decidimos dar a opção de largar para os dois ciclistas restantes, Neilson Powless e Jonas Rutsch, com o consentimento da nossa equipa médica”, adianta a Education First.

O suíço Marc Hirschi, colega de equipa de Rui Costa na UAE-Emirates, também testou positivo e está fora da corrida, tal como o seu companheiro de quarto e compatriota Joel Suter, que foi retirado por precaução.

“Infelizmente, como muitas outras equipas, também tivemos um aumento nos casos de Covid-19”, disse o diretor médico da formação dos Emirados Árabes Unidos, Adrian Rotunno.

O aumento de casos de Covid-19 e a retirada de várias equipas e um total de 29 ciclistas, incluindo o líder, o russo Alexander Vlasov, não impediu o início da sexta etapa da prova suíça, entre Locarno e Moosalp, na distância de 180 quilómetros.

Depois de muita discussão com as equipas, a empresa promotora, o sindicato dos ciclistas e a União Ciclista Internacional (UCI), os organizadores da Volta à Suíça decidiram que a prova vai continuar, segundo o seu diretor, Olivier Senn.

“Com 18 equipas em prova, achamos que ainda há uma maneira de ter uma corrida real. Todas as equipas restantes concordaram em começar e não haverá mudanças em relação à etapa do dia. Vamos verificar amanhã de manhã, esperando que não tenhamos novos casos”, disse o diretor de prova.

O pelotão, inicialmente composto por 152 corredores, partiu para a sexta etapa com 94. A corrida suíça é um dos últimos eventos para se preparar para a Volta a França, que começa em duas semanas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.