O plano 'B' da Movistar foi hoje totalmente bem sucedido nos Alpes, com Richard Carapaz a vencer isolado a 14.ª etapa da Volta a Itália em bicicleta e conquistar a camisola rosa, com a concorrência focada em Mikel Landa.

A etapa tinha muita montanha e chegada em subida, em Courmayeur, no sopé do Monte Branco, sendo propícia aos trepadores do pelotão e favoritos ao triunfo final, só que estes vigiaram-se mutuamente, com o 'vice' da Movistar a efetuar uma jogada de 'mestre', a mais de 30 quilómetros da meta.

Mais preocupadas com Landa, que era o quarto da geral, as principais equipas deixaram que o equatoriano Carapaz fosse sem companhia na subida de primeira categoria para ao alto de San Carlo e depois ampliasse a vantagem até à meta.

Vencedor da quarta etapa, o equatoriano cumpriu os 131 quilómetros do percurso iniciado em Saint-Vincent em 4:02.23 horas, com 1.32 segundos de avanço sobre o britânico Simon Yates (Mitchelton-Scott), segundo classificado, que na véspera tinha perdido muito tempo.

O italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Merida) chegou em terceiro, a 1.54, e encabeçou o grupo dos restantes favoritos, seguido do polaco Rafal Majka (BORA-hansgrohe), do espanhol Mikel Landa (Movistar), do colombiano Miguel Ángel López (Astana), do russo Pavel Sivakov (INEOS) e do esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma).

Prossegue assim a tática do principal favorito, Roglic, em seguir nestas etapas na peugada de Nibali, que já definiu como o adversário mais temível. Se a estratégia lhe correr de feição, tem o contrarrelógio final para confirmar o triunfo.

O esloveno Jan Polanc (UAE-Emirates), que comandou a corrida durante dois dias, terminou a etapa em 28.º, a 7.20 minutos, e cedeu a camisola rosa a Carapaz, que comanda com sete segundos de avanço sobre Roglic e 1.47 em relação a Nibali.

A vantagem de Roglic para Nibali continua considerável, mas para os outros favoritos é já muito grande: Majka está a 2.10, Landa a 2.50, completando o 'top-5'.

O português Amaro Antunes (CCC) fez uma etapa sem pressão e entrou em 82.º, num dos vários grupos de ciclistas distanciados nas subidas, a 29.12. Na geral é o 46.º, a 50.21 - desceu 15 lugares.

Mais montanha, na 15.ª etapa, domingo, mas não tão intensa como hoje. São 237 quilómetros de Ivrea a Como, com quatro subidas, no que será o segundo dos dias de descanso, a anteceder a semana decisiva deste Giro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.