O ciclista Joni Brandão (Efapel-Glassdrive) sagrou-se hoje campeão nacional de fundo de elite, ao ganhar a prova de 172 quilómetros dos campeonatos de Portugal, em Pataias, Alcobaça, marcada por uma queda coletiva que influenciou o desfecho da corrida.

Na ponta final da prova, composta por 10 vostal a um circuito de 17,2 quilómetros, Joni Brandão impôs-se num "sprint" a dois com Tiago Machado (RadioShack), após uma fuga bem-sucedida, cortando a meta com o tempo de 4:11.38 horas, o mesmo atribuído ao segundo classificado. No terceiro lugar, a 37 segundos, ficou Hélder Oliveira (OFM-Quinta da Lixa).

«Ainda não estou bem em mim. Quando cortei a meta, chorei. Ainda não caí na realidade. É uma grande satisfação para mim sair para treinar e para as corridas com as cores de campeão nacional», afirmou o corredor de Travanca, Santa Maria da Feira, vencedor da Volta a Portugal do Futuro em 2011, que obteve em Pataias o seu primeiro triunfo como profissional.

Joni Brandão, de 23 anos, sucede no historial de vencedores a Manuel Cardoso (Caja Rural), que hoje terminou em 10.º lugar, a mais de 15 minutos do vencedor, tal como a maioria do pelotão, que se atrasou irremediavelmente devido a uma queda de cerca de 20 corredores na quarta volta.

Este incidente motivou muitos abandonos, incluindo o do veterano Vergílio Santos (Rádio Popular Onda), de 37 anos, que sofreu uma fratura na bacia, e de Daniel Mestre (Carmim) e António Carvalho (LA-Antarte), ambos com fraturas de clavícula, diagnosticadas no Hospital de Leiria, para onde foram transportados.

Luís Afonso (LA-Antarte), que também foi observado no hospital, onde não se confirmaram as suspeitas de fratura num cotovelo, e Rui Sousa (Efapel-Glassdrive) e Nelson Oliveira (RadioShack) foram outras vítimas da queda, que abriu caminho em definitivo aos seis corredores que seguiam em fuga.

Joni Brandão, Tiago Machado, Hélder Oliveira, Bruno Silva (LA-Antarte), David Livramento (Carmim) e Guilherme Lourenço (Peçadomovar) levavam cerca de cinco minutos de avanço no momento da queda e viram a vantagem aumentar para perto de 20 minutos, perante um pelotão que acabou por se "desinteressar" da corrida.

Machado, quase sempre a marcar o ritmo da fuga, Brandão e Oliveira acabaram por se destacar, valendo no "sprint" final a maior frescura do corredor da Efapel, numa corrida iniciada por 67 ciclistas e concluída por apenas 43.

Na sexta-feira, Rui Costa (Movistar), recente vencedor da Volta à Suíça pelo segundo ano consecutivo e 10.º do "ranking" do WorldTour, sagrou-se campeão nacional de contrarrelógio.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.