Van Baarle, de 30 anos, e Kelderman, de 31, vão correr na equipa dos Países Baixos entre 2023 e 2026, estando os dois a alinhar hoje à partida na Volta a Espanha, ainda pelas respetivas equipas.

A Jumbo-Visma, que este ano venceu a Volta a França com o dinamarquês Jonas Vingegaard e tenta vencer pela quarta vez seguida a Vuelta com o esloveno Primoz Roglic, reforça-se assim no ‘plantel’ das clássicas e também no bloco para as ‘grandes Voltas’.

Se Van Baarle somou na Paris-Roubaix o maior triunfo da carreira, que já incluía uma Através da Flandres, em 2021, Kelderman, que regressa à equipa oito anos depois, é um nome regular no ‘top 10’ das ‘grandes Voltas’, com destaque para o terceiro lugar na Volta a Itália de 2020 e o quinto na Volta a França de 2021.

“Deixa-nos com um sentimento especial que o Wilco regresse aonde tudo começou para ele. Que o Dylan nos tenha escolhido deixa-nos orgulhosos e felizes. Tem um grande palmarés e é muito apreciado no pelotão. Apontamos alto, e com ele na equipa, aumentamos as chances de sucesso”, notou o diretor desportivo, Merijn Zeeman, citado em comunicado.

Correr por uma equipa neerlandesa “é como regressar a casa”, declarou Van Baarle, que quer aproximar-se dos belgas Wout van Aert e Tiesj Benoot, os principais ‘classicómanos’ da equipa, e aponta às corridas da primavera, bem como ao Tour.

“A Jumbo-Visma sempre foi a minha equipa de casa. Conheço as pessoas muito bem e sempre me mantive em contacto. É o passo certo na minha carreira, a equipa evoluiu. (...) São ambiciosos e espero contribuir para esses objetivos, acho que ainda posso crescer e conseguir granes coisas. A equipa tem ganho muito e quero apoiar os grandes nomes, e passar a minha experiência aos mais novos”, considerou Kelderman.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.