Metade das 24 equipas que vão disputar a 45.ª edição da Volta ao Algarve são do WorlTour, entre as quais, as três melhores do 'ranking' mundial de 2018, anunciou hoje a organização.

Na prova, que decorre de 20 a 24 de fevereiro, além das três melhores do 'ranking' do ano passado - Deceuninck-Quick Step (Bélgica), Team Sky (Reino Unido) e BORA-hansgrohe (Alemanha) - vão participar ainda mais nove formações de primeira divisão.

"Este ano vamos ter mais corredores dos 100 primeiros do 'ranking' do que tivemos no ano passado", disse, durante a apresentação oficial da prova, o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, que acredita que este ano a corrida vai ser ainda "mais competitiva".

Delmino Pereira, que falava na Região de Turismo do Algarve, em Faro, salientou que, apesar de a prova enfrentar a concorrência de outros destinos, como a Colômbia ou países do Médio Oriente, que têm corridas em datas próximas, continua, mesmo assim, a conseguir atrair grande parte das melhores equipas mundiais.

"Em relação ao nosso concorrente Andaluzia, temos o dobro das equipas do WorldTour", exemplificou, notando que na Volta à Andaluzia, no sul de Espanha, participam seis das melhores equipas do mundo, enquanto a Volta ao Algarve reúne 12, de um total de 18 equipas do WorldTour.

Para assinalar os 120 anos de atividade ininterrupta da Federação, em 2019, a Volta ao Algarve terá alguns eventos paralelos que se realizam pela primeira vez, como a Volta ao Algarve Feminina, no dia 23 de fevereiro, em Albufeira, um passeio com baixo grau de dificuldade dirigido exclusivamente às mulheres.

Outra das novidades é a realização da Volta ao Algarve Kids, um percurso de ciclismo de iniciação com participação gratuita para crianças, que vai funcionar em Portimão, no dia da partida da primeira etapa, e também num centro comercial em Loulé nos fins de semana de 16 e 17 e de 23 e 24 de fevereiro.

Segundo Delmino Pereira, será instalada naqueles locais uma pequena pista em que as crianças podem participar numa espécie de mini-Volta ao Algarve "num cenário imaginário".

Na vertente da integração social, está ainda prevista a realização de uma prova de paraciclismo, em Faro, no dia 24, momentos antes da partida da última etapa da competição profissional, em que participarão quatro cegos, apoiados por outros ciclistas, em bicicletas "tandem", com dois lugares.

Na apresentação da prova, o presidente da Região de Turismo do Algarve, João Fernandes, sublinhou que a transmissão televisiva terá o potencial de chegar a cerca de 150 milhões de lares em todo o mundo, num total de 120 países, o que vai levar a que muitas pessoas, não apenas os aficionados, vejam imagens do destino Algarve,

Poe seu turno, o presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve, Jorge Botelho, notou que os 16 concelhos do Algarve apoiam a prova porque perceberam que é "um megaevento de promoção da região".

A Volta ao Algarve de 2019, que tem a classificação 2.HC, a mais elevada do Europe Tour, é composta por cinco etapas, com partida em Portimão, cidade que não recebe a prova desde 2012, e chegada no alto do Malhão, em Loulé.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.