A equipa espanhola Movistar anunciou hoje que o contrato com o ciclista colombiano Miguel Ángel López foi rescindido “por mútuo acordo”, uma rescisão válida a partir de 01 de outubro.

“A equipa agradece a Miguel Ángel os esforços realizados e os resultados obtidos durante a temporada, e deseja-lhe muita sorte para o futuro”, pode ler-se num comunicado publicado nas redes sociais da ‘telefónica’, equipa do português Nelson Oliveira.

O colombiano abandonou, de súbito, a Volta a Espanha na 20.ª e penúltima etapa, numa altura em que era terceiro na geral, quando foi apanhado num corte que o deixou longe do eventual vencedor, o esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma), e dos restantes favoritos.

Com o pódio a ‘fugir’, López pousou a bicicleta, apesar de ter sido instado a continuar pelo diretor desportivo, Patxi Vila, e pelo colega de equipa Imanol Erviti.

O ciclista, que estava no primeiro ano na Movistar após toda a carreira na Astana, pediu desculpa após a etapa, dizendo ser “humano, não uma máquina”, e o diretor Eusebio Unzué mostrou-se desapontado, mesmo que concedendo que o colombiano é “uma boa pessoa, nobre, que tomou a decisão menos apropriada”.

Aos 27 anos, López vivia o primeiro de vários anos de contrato em Espanha, tendo abandonado também a Volta a França, somando vitórias este ano na Volta à Andaluzia e no Mont Ventoux Dénivélé Challenge.

“Foi a melhor decisão que poderíamos tomar […] Obrigado à Movistar pela oportunidade. Tudo o que vivemos será um ganho no nosso inventário”, escreveu o colombiano na sua conta na rede social Twitter.

*Artigo atualizado

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.