"Agora assimilei, é oficial. Este é um evento histórico para mim, para o meu país e para a minha equipa", resumiu o ciclista de 22 anos.

Evenepoel sucedeu no historial da Vuelta ao esloveno Primoz Roglic, tornando-se no primeiro belga a vencê-la desde Freddy Maertens, em 1977, e o primeiro a conquistar uma das grandes Voltas em 44 anos, após o triunfo de Johan De Muynck, no Giro.

O líder da Quick-Step Alpha Vinyl assumiu-se “feliz por ter sobrevivido hoje e às três semanas da corrida”.

“Acho que podemos estar muito orgulhosos do que fizemos", reforçou, antes de ouvir o seu hino na Praça de Cibeles.

O triunfo de Evenepoel, deixando os espanhóis Enric Mas (Movistar), a 02.05 minutos, e Juan Ayuso (UAE Emirates), a 04.57 – o segundo mais novo a subir ao pódio numa das três principais provas por etapas –, foi também o primeiro da estrutura da Quick-Step Alpha Vinyl.

“Ontem [no sábado], as emoções foram muito fortes. Hoje tinha de terminar a corrida são e salvo e todos nós fizemos isso perfeitamente. Desfrutámos o possível e agora podemos fazê-lo sem restrições”, concluiu Evenepoel.

O português João Almeida (UAE Emirates), de 24 anos, terminou a prova no quinto lugar, a 07.24 do camisola vermelha, na sua estreia, depois de ter desistido na edição de 2022 do Giro, prova na qual foi quarto em 2020 e sexto em 2021.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.