Na antevisão do decisivo Portugal-Argentina, do grupo A do Mundial de futebol de praia, Madjer sublinhou o fato de "não haver que fazer contas, mas sim ganhar o jogo" para poder seguir em frente.

"A única conta a fazer é que temos de ganhar o jogo e desde sábado todos eles são finais", frisou o capitão da seleção portuguesa, para quem a equipa "errou onde podia errar" na derrota com o Senegal e agora "já não há margem para isso".

Para o máximo goleador em campeonatos do mundo, "o que falhou foi mais concentração".

"Tivemos um período de pouca concentração e eles aproveitaram", disse Madjer, enquanto para Alan "não faltou força anímica, nem vontade de vencer".

O jogador luso adiantou: "Concordo que houve desconcentração nos momentos-chave. Mesmo a jogar em inferioridade numérica conseguimos criar várias ocasiões. O nosso objetivo, desde o início, é ganhar todos os jogos e agora mais do que nunca."

Já Belchior destacou os "erros coletivos e individuais que levaram o Senegal a dar a volta ao jogo", explicando que os jogadores portugueses "entraram mais relaxados no terceiro período".

"Sofremos dois golos e aquilo teve o efeito de balde de água fria. Ficámos como que apáticos. Demorámos um pouco a reagir. Qualquer equipa sente dois golos sofridos assim. Temos de tirar as ilações para não cometer os mesmos erros", destacou o avançado português.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.