Esperava-se um jogo quente fora das quatro linhas tal a afluência de público que se registou no Pavilhão Paz e Amizade, porém esse ambiente foi transportado também para o rectângulo de jogo.

Primeira parte:

Sporting e Benfica entraram com uma grande “sede”, tal o ímpeto que colocaram em todas as jogadas. Aos 7 minutos já o Sporting tinha chegado às cinco faltas, e o técnico Orlando Duarte havia sido expulso por protestos com o árbitro Pedro Paraty.

Para além de um excesso de agressividade de parte a parte, o jogo ficou marcado nos primeiros vinte minutos pelo equilíbrio e pela grande exibição dos dois guarda-redes, Cristiano e Bebé, que deram espectáculo do primeiro ao último minuto.

Quanto a golos, apenas um foi marcado. Aos 8 minutos, Divanei tocou para o meio da área para Deo e este, à meia volta, bateu o guarda-redes encarnado. O Benfica dispôs de dois livres de 10 metros para repor a igualdade, por faltas do Sporting, mas Joel Queirós mostrou não estar nos seus dias. Na primeira oportunidade, o pivot atirou ao poste e na segunda Cristiano mostrou serviço.

Entre os restantes lances de golo, o mais claro aconteceu para o lado dos leões com Divanei a largar uma “bomba” que terminou na barra da baliza de Bebé. Foi com este resultado (1-0) que se seguiu para intervalo.

Segunda parte:

Na segunda parte assistiu-se a um jogo mais pausado, melhor jogado e sem tantos casos como na primeira parte. O Benfica surgiu muito mais em cima do adversário, remetendo por alguns minutos o Sporting aos seus 10 metros defensivos, fruto também da desvantagem no marcador.

Essa pressão teve resultados aos 28 minutos, com Joel Queirós a redimir-se das oportunidades perdidas no primeiro tempo. César Paulo rematou forte e Cristiano defendeu para a frente. No meio da atrapalhação, Joel Queirós ganhou a bola, rematou ao poste e em segunda instância conseguiu colocar a bola no fundo das redes da baliza de Cristiano.

Este resultado em nada interessava ao Sporting que assim via ficar muito longe o primeiro lugar da fase regular do campeonato nacional de futsal, a duas jornadas do fim.

Os leões procuraram desfazer a igualdade com Divanei a ter mais do que uma oportunidade para isso, mas quer o acerto defensivo encarnado como Bebé evitaram essa situação. Num lance em que o Sporting reclamou falta sobre Deo, o Benfica conseguiu chegar ao golo por intermédio de Arnaldo, aos 32 minutos, fazendo o 2-1 e colocando pela primeira vez os encarnados em vantagem.

Os leões responderam de imediato com a entrada de Alex para a posição de “guarda-redes avançado”, mas sem efeitos práticos. Alíás, foi o Benfica que aumentou a vantagem com Diego Sol a atirar, aos 38’ para a baliza deserta contrária.

No mesmo minuto, Cardinal viu vermelho directo e foi expulso, deitando por terra qualquer aspiração do Sporting em dar a volta ao marcador. Joel, já perto do fim, deu maior expressão ao resultado aumentando para 4-1.

Com este resultado, o Benfica garante o primeiro lugar da fase regular, circunstância que tem sido decisiva para apurar o campeão no play-off.

O secretário técnico do Benfica foi expulso no decorrer do segundo tempo por protestos à arbitragem. 

Cinco inicial Sporting: Cristiano, Pedro Cary, Deo, Leitão e João Matos.

Entraram ainda: Marcelinho, Caio Japa, Alex, Cardinal e Divanei.

Cinco inicial Benfica:  Bebé, Gonçalo Alves, Arnaldo, Joel e Davi.

Entraram ainda: Marinho, Diego Sol, Diece, César Paulo e Pedro Costa.

Andamento marcador: 1-0, 1-1, 1-2, 1-3, 1-4.

Confira AQUI o resumo do encontro. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.