O selecionador português Jorge Braz encarou hoje a partida com a Finlândia, dos quartos de final do Europeu2022 de futsal, como uma final, querendo terminar já com a surpreendente prestação do adversário na prova.

“Chegámos à fase das finais e esta é a final para nos mantermos cá até ao último dia. Só queremos ir embora no dia 07 e é este jogo que define isso. Depois, vamos atrás do resto. Para querermos outros patamares, temos de nos manter na competição até ao final e, para tal, temos de vencer este jogo, que é uma final para nós”, disse o técnico.

Na antevisão ao duelo dos ‘quartos’, feita na unidade hoteleira onde a ‘equipa das quinas’ está instalada, na neerlandesa Amesterdão, Jorge Braz lembrou que Portugal e Finlândia já se encontraram na qualificação para o Mundial2021, terminando com um empate (2-2).

“A Finlândia tem um nível de jogo muito interessante e fazem as coisas simples bem feitas. É um adversário complicadíssimo. A ver se terminamos por aqui a surpresa deles, que já chega”, atirou aos jornalistas portugueses presentes nos Países Baixos.

A experiência e o passado dos campeões europeus e mundiais em título, comparando com a da congénere finlandesa, “não vale de nada”, considerou Jorge Braz, que frisou a necessidade de Portugal lutar e competir ainda mais e prosseguir com a ‘escalada’.

“Há sempre coisas para afinar. Terminámos o Mundial e já estava com a sensação de coisas que, para a próxima, se tinha de afinar. Sinto toda a gente com uma confiança, um acreditar e uma vontade de ser Portugal fabulosa”, expressou o selecionador luso.

Com poucos dias de intervalo entre jogos, Jorge Braz mencionou o trabalho de todo o ‘staff’ técnico, que são “os melhores do mundo”, e referiu um aspeto dos finlandeses para o qual a equipa das ‘quinas’ terá de ter atenção no confronto de segunda-feira.

“A Finlândia é das seleções mais competitivas e alegres simultaneamente, o que nem sempre é fácil. Temos também de jogar com esse prazer de ser Portugal e com essa confiança. Temos de estar muito atentos à forma competitiva, dinâmica e alegre com que a Finlândia encara sempre todos os jogos”, alertou o transmontano, de 49 anos.

O ala/pivô Fábio Cecílio também efetuou a antevisão à partida, tendo concordado que “é uma final”, na qual Portugal precisa de manter o foco e a concentração ao mais alto nível durante todo o encontro, perante uma Finlândia “muito forte e a surpreender”.

“Sabemos que é uma equipa competitiva, que gosta do jogo rápido e que sai da defesa com rápidas transições. Temos de estar focados nisso durante os 40 minutos, porque a equipa da Finlândia nunca desiste”, analisou o jogador, que atua no Sporting de Braga.

Para contrariar o jogo nórdico, Fábio Cecílio deu a receita: “É evitar o choque com eles. Sabendo que é uma equipa mais forte em termos físicos, essa é uma das estratégias”.

Como líder do Grupo A, Portugal defronta a congénere da Finlândia, que terminou na segunda posição do Grupo B, com quatro pontos, na segunda-feira, na Ziggo Dome, em Amesterdão, em jogo dos ‘quartos’ do Europeu2022, às 17:00 locais (16:00 em Lisboa).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.