O Sporting qualificou-se hoje para a final da Taça de Portugal de futsal, ao derrotar o Leões de Porto Salvo, por 5-1, numa meia-final disputada sem público no Centro de Congressos e Desportos de Matosinhos.

Um ‘bis’ de Diego Cavinato (10 e 13 minutos) e os golos de Erick Mendonça (20), Cardinal (22) e Alex Merlim (29) ofereceram a 10.ª presença no encontro decisivo aos ‘leões’, enquanto André Galvão reduziu para os oeirenses num livre de 10 metros (38).

O Sporting vai defrontar o vencedor do jogo entre Sporting de Braga e Portimonense, que entram em campo a partir das 19:15, na final, aprazada para terça-feira, às 21:15, na qual procurará o oitavo troféu e o terceiro consecutivo em 23 edições da Taça de Portugal.

A versão 2019/20 da ‘prova rainha’ decorreu até aos quartos de final nas vertentes masculina e feminina, mas foi interrompida em meados de março e adiada, devido à pandemia de covid-19, que veio antecipar a conclusão da época no futsal nacional.

Ao início incisivo dos ‘leões’, assente em sucessivas investidas de Zicky Té, Taynan, Alex Merlim e Pauleta, a formação de Oeiras respondeu com remates frontais de Wesley Reinaldo e Rodrigo Horishi, ambos travados em esforço pelo guarda-redes Guitta.

O ascendente do Sporting traduziu-se em golo aos 10 minutos, quando Diego Cavinato concluiu de primeira uma reposição de Alex Merlim na direita, tranquilizando a equipa de Nuno Dias, que voltaria a celebrar logo após a pausa técnica pedida por Ricardo Lobão.

Aos 13 minutos, numa altura em que Wesley Reinaldo e Rocha tinham voltado a testar Guitta e Bebé, respetivamente, Diego Cavinato desmarcou-se na área do Leões de Porto Salvo, falhou a primeira tentativa de remate e ampliou à segunda a vantagem ‘leonina’.

O jogo continuou num ritmo intenso e o Sporting alcançou as cinco faltas aos 16 minutos, fator desaproveitado pelos oeirenses, que subiram linhas, mas sofreram novo golo a 14 segundos do intervalo, numa jogada vistosa de Pauleta finalizada por Erick Mendonça.

O Leões de Porto Salvo reapareceu na quadra com Pedro Cary nas funções de guarda-redes avançado, mas voltou a pecar em zonas ofensivas e expôs-se ao poder atacante de Cardinal, que alvejou a barra aos 21 e faturou de baliza deserta no minuto seguinte.

Sinal da ineficácia na área oposta expressou Bruno Pinto num lance idêntico, que fez esmorecer a estratégia oeirense e precedeu um golo de antologia de Alex Merlim aos 29 minutos, depois de Bebé e os ferros terem negado os ‘tiros’ de Zicky Té e Tomás Paçó.

O ala ítalo-brasileiro ultrapassou o guarda-redes com uma troca de pés junto à linha final e tabelou com o poste rumo ao quinto golo do Sporting, que ainda excedeu as cinco faltas aos 38 minutos e viu André Galvão reduzir diferenças num livre de 10 metros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.