O vice-campeão José Filipe Lima ascendeu, este sábado, ao ‘top-20’ do 57.º Open de Portugal em golfe, que está a decorrer no Morgado Golf Resort, num dia em que quatro jogadores assumiram a liderança do torneio do Challenge Tour.

O golfista português completou a terceira volta com 69 pancadas (três abaixo do par), graças a quatro ‘birdies' (uma abaixo do par, nos buracos 6, 9, 11 e 15) e um único ‘bogey' (uma acima do par, no buraco 4), totalizando de 211 ‘shots' (-5) para integrar o grupo dos 17.ºs classificados.

"Estou feliz. Gostei mais da volta de hoje. Senti-me melhor nos ‘greens' e não fiz mais ‘birdies' porque joguei mal os pares 5. Fiz bons ‘drives', mas não aproveitei. Hoje também não estava tão fácil como ontem [sexta-feira], porque está mais vento e os ‘greens' estão mais desgastados", explicou o português, de 37 anos.

Filipe Lima procura reeditar um bom resultado no Open de Portugal, à semelhança do sucedido há um ano, para tentar ascender do 11.º lugar a uma classificação mais segura no ranking do Challenge Tour, garantindo, assim, no final da época, a promoção ao European Tour.

"Senti-me muito melhor e estou mais confiante para amanhã [domingo]. Vou jogar com calma e logo se vê", admitiu o golfista, residente em França.

Ao contrário de Filipe Lima, que já venceu um torneio do Challenge Tour este ano, na Finlândia, Hugo Santos e Tiago Cruz não foram tão bem sucedidos no traçado algarvio, onde o jogador do Estoril registou hoje cinco ‘bogeys' (buracos 3, 5, 13, 17 e 18) e um único ‘birdie' (9) para uma ronda com 76 pancadas (+4).

Enquanto Tiago Cruz caiu para o grupo dos 53.ºs colocados, com um agregado de 217 ‘shots' (+1), o mesmo registo do amador Pedro Silva, o algarvio Hugo Santos conseguiu manter-se à porta do ‘top-20’.

O antigo campeão nacional, que passou pela primeira vez o ‘cut' do Open de Portugal, entregou um terceiro cartão com 71 pancadas, na sequência de três ‘birdies' (buracos 1, 9 e 12) e dois ‘bogeys' (13 e 18), e parte domingo à distância mínima de Filipe Lima, ao totalizar 212 ‘shots'.

"Falhei dois ‘shots', o segundo no buraco 3 e o ‘tee shot' do buraco 18, que me custaram dois ‘bogeys', mas foi o dia em que joguei melhor. Estava confiante, mas o ‘put' não acompanhou", explicou Santos.

Na liderança do torneio português, dotado de 200 mil euros em prémios, estão o inglês Richard Bland, o sueco Henric Sturehed, o irlandês Cormac Sharvin e o espanhol Sebastian Garcia Rodrigues, todos com um agregado de 206 pancadas (-10) e um ‘shot' de vantagem sobre o grupo de cinco golfistas que partilham a segunda posição.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.