Portugal é campeão do Mundo de Hóquei em patins, 16 anos depois. Os lusos venceram a Argentina por 2-1 nas grandes penalidades, depois de 0-0 no tempo regulamentar, no Palau Blaugrana, em Barcelona, Espanha.  O guarda-redes Ângelo Girão, que já tinha travado cinco bolas paradas dos argentinos , voltou a ser enorme na baliza. Ordoñes até converteu o primeiro mas depois nenhum argentino marcou. Hélder Nunes e Gonçalo Alves marcaram para Portugal e deram o título aos lusos.

Veja as melhores imagens do jogo

Este é um ano dourado para o hóquei patinado português, depois de o Sporting ter sido campeão europeu de clubes e Portugal ter conquistado o Torneio de Montreaux em abril.

Este era o momento para fechar um ano de ouro para o hóquei patinado português, depois de o Sporting ter-se sagrado campeão europeu de clubes, numa numa final 100 por cento portuguesa com o FC Porto e onde houve quatro equipas nacionais na 'final four'. Em abril, a seleção nacional tinha conquistado o torneio de Montreux em abril. Em Barcelona, a seleção nacional perseguia o seu 16.º título mundial da história, um troféu que escapa desde 2003.

Mas este não seria um encontro fácil para Portugal, apesar de estas duas formações terem-se empatado a uma bola na fase de grupos.

Os sul-americanos foram superiores durante todo o jogo e só uma 'barreira' chamada Ângelo Girão, ajudado pelos postes, ia mantendo Portugal no jogo.Aos seis minutos, Romero, que joga no Sporting, atirou ao poste. Aos 17, é Ângelo Girão a brilhar novamente, defendendo uma grande penalidade de Ordoñez.

Portugal jogava com muitas cautelas, tal como a Argentina, embora o sul-americanos fossem mais perigosos. E com o 0-0 chegava-se ao intervalo.

No segundo tempo Portugal até entrou bem, com Telmo Pinto muito perto do golo, mas Grimalt defendeu o remate com as pernas.

Aos 30 minutos, a Argentina beneficiou de um livre direto mas Nicolía perdeu no duelo com Girão. Dois minutos depois Portugal podia ter marcado, num livre direto, mas Hélder Nunes viu o guarda-redes Grimalt negar-lhe as intenções.

A Argentina continuava mais perigosa, a jogar mais tempo na meia-pista contrária, e tentar de todas as formas. Numa 'bomba' de muito longe, Pascual viu o poste de Girão negar-lhe o golo aos 35 minutos. Aos 43 minutos, novo livre direto para a Argentina mas Alvarez rematou ao lado da baliza de Girão.

Com o 0-0 nos 50 minutos, foi preciso recorrer ao prolongamento, sempre com a Argentina por cima, a jogar mais tempo perto da baliza de Girão. Os campeões mundiais em 2015 beneficiaram de uma grande penalidade mas Girão voltou a levar a melhor sobre Nicolía. Mas o árbitro descortinou uma falta do guarda-redes português e voltou a marcar nova grande penalidade, com o mesmo desfecho: remate de Nicolía, defesa do guarda-redes que representa o Sporting.

Na segunda parte do prolongamento nada de golos, apesar do cerco dos argentinos à baliza de Girão. Portugal só incomodou em dois remates de longe de Hélder Nunes, antes do jogo ir para penaltis.

Aí o guarda-redes Ângelo Girão, que já tinha travado cinco bolas paradas dos argentinos , voltou a ser enorme na baliza. Ordoñes até converteu o primeiro mas depois nenhum argentino marcou. Hélder Nunes e Gonçalo Alves marcaram para Portugal e deram o título aos lusos.

A formação das ‘quinas’ conquistou o 16.º título mundial, menos um do que a recordista Espanha, reconquistando um título que lhe fugia desde 2003, em Oliveira de Azeméis.

Fora de Portugal, a 'equipa das quinas' não vencia um título desde 1993, sendo que, em Espanha, apenas se tinha sagrado campeão mundial uma vez, em 1960.

(Artigo corrigido)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.