A dívida de mais de um milhão de kwanzas aos árbitros pela Federação Angolana de Patinagem (FAP) condicionou a realização do jogo da final do campeonato nacional sénior que deveria opor na noite desta terça-feira as equipas do Petro de Luanda e da Académica de Luanda.

O desafio, marcado para o pavilhão da Cidadela, contou com a presença das duas formações, mas os árbitros mesmo no local alegaram que, sem o pagamento da dívida contraída ao longo da prova, não apitariam os jogos da final.

Nesta condição estão 10 árbitros, oito dos quais de Luanda e dois da província de Benguela.

O presidente do Conselho Nacional de Arbitragem (CNA), Nascimento Júnior, disse em declarações à Angop que o processo de negociação com os árbitros decorre desde o início da competição.

“As negociações decorrem e esperamos que esta situação se resolva o quanto antes” disse.

Além do jogo da final, o duelo entre o 1º de Agosto e a Marinha de Guerra para o terceiro lugar também não se realizou.

Até chegarem à final, o Petro derrotou na meia-final a Marinha de Guerra por 2-0, no play-off, enquanto os estudantes eliminaram o 1º de Agosto por 2-1, em finalíssima disputada na última sexta-feira.

O Campeonato Nacional, que decorre na capital desde 22 de Outubro, contou na fase inicial com nove equipas todas da capital e para as meias-finais apuraram-se quatro e duas para a final que vai ser jogada no play-off a melhor de três partidas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.