É mais um escândalo de abuso sexual na equipa olímpica norte-americana. Aly Raisman, campeã olímpica de ginástica pelos Estados Unidos, acusou Larry Nassar, antigo médico da equipa americana, de abuso sexual.

Segundo a AFP, Raisman revelou o abuso num avanço da entrevista que a atleta deu ao programa de televisão "60 minutos".

Raisman, que ganhou seis medalhas em duas edições dos Jogos Olímpicos, incluindo três medalhas de ouros, disse que foi tratada pela primeira vez por Nassar quando tinha 15 anos.

"Estou zangada", afirmou Raisman. "Quando vejo as jovens raparigas que vêm ter comigo e pedem fotografias ou autógrafos... sempre que olho para elas, sempre que as vejo sorrir, só penso --- Eu só quero fazer a mudança para que nunca passem por isto", afirmou a ginasta.

"Porque é que estamos a ver o porquê é que as raparigas não falam", perguntou. "Porque é que não olhamos para a cultura".

"O que a equipa de ginástica dos Estados Unidos faz, o que Larry Nassar faz, para manipular tanto as raparigas que têm demasiado medo para falar?".

Recorde-se que, no último mês, McKayla Maroney, colega de equipa de Raisman, que foi molestada por Nassar sob o pretexto de tratamento médico.

Raisman revelou também que falou com os investigadores do FBI sobre Nassar depois dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O antigo médico declarou-se como culpado das acusações de pornografia infantil e poderá ser condenado a prisão perpétua, caso seja condenado pelas 22 acusações de abuso sexual.

O caso de Larry Nassar faz parte de um escândalo na equipa de Ginástica dos Estados Unidos, que levou ao despedimento do líder da equipa, Steve Penny, no último ano.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.