A Federação Portuguesa de Esgrima (FPE) cancelou a participação oficial nos Europeus de juniores, em Porec, na Croácia, devido ao receio com a propagação do surto de coronavírus Covid-19.

Apesar de os Europeus se disputarem na Croácia, grande parte dos 'transfers' eram feitos a partir de Veneza, no norte de Itália, onde se registaram vários casos, referiu à agência Lusa o diretor técnico nacional (DTN), Miguel Machado.

De acordo com o responsável, com o avolumar de casos, a organização decidiu cancelar o transporte a partir de Veneza, com a solução apresentada a passar por viajar de transportes públicos até Trieste, onde haveria transportes oficiais para Porec.

"Falámos com Ministério dos Negócios Estrangeiros e várias entidades e não nos aconselharam a fazer 'transfers' em transportes públicos", referiu o DTN.

A FPE enviou uma circular aos clubes a anunciar a decisão de cancelar a participação oficial e obrigando à assinatura de um termo de responsabilidade aos atletas que mantivessem a intenção de disputar a competição.

Miguel Machado referiu que Madalena Sá e Maria Alvim, que já estavam em Porec, por terem participado nas provas de cadetes, e Alexandre Graça, Gonçalo Barros e Luís Macedo, que viajaram através de outros aeroportos, vão participar no Europeu.

Dos atletas que participaram nas provas de cadetes, nenhum regressou a Portugal via Veneza.

O ex-atleta olímpico João Gomes deveria levar alguns atletas da sua academia a Porec, mas também decidiu cancelar as viagens, pois todos os voos eram realizados por Veneza.

"A organização aconselhou a utilização de transportes públicos para Porec. Os riscos eram muito grandes", assumiu, em declarações à agência Lusa.

Em relação aos atletas da Academia de Esgrima João Gomes que participaram na prova de cadetes, o ex-atleta disse que foram aconselhados a não regressar por Itália e fizeram a viagem por Zagreb e Frankfurt.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de pelo menos 2.763 mortos e cerca de 81 mil infetados, de acordo com dados reportados por mais de 40 países e territórios.

Das pessoas infetadas, quase 30 mil recuperaram.

Além de 2.717 mortos na China, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública de âmbito internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.