As seleções brasileiras de andebol masculino e râguebi ‘sevens’ feminina vão estagiar durante o mês de outubro em Rio Maior, no âmbito da Missão Europa, promovida pelo Comité Olímpico do Brasil (COB), anunciou hoje o organismo.

Rio Maior tem recebido atletas brasileiros de natação, atletismo e triatlo, e tem sido o ponto central da Missão Europa, que decorre entre julho e dezembro e se estende também a Coimbra, no caso do judo, Cascais, no caso da vela, Sangalhos, para a ginástica artística e rítmica e BMX, Vila Nova de Gaia, para o ténis de mesa.

“Após receber mais de 150 atletas de 16 modalidades nos três primeiros meses, agora é a vez das seleções feminina de râguebi ‘sevens’ e masculina de andebol desembarcarem em Rio Maior. Serão cerca de 50 novos integrantes da Missão entre atletas e oficiais”, lê-se no comunicado do COB.

A equipa feminina de râguebi ‘sevens’ conhecida como Yaras, já apurada para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, chega no sábado a Portugal, onde vai realizar testes à COVID-19, cumprindo isolamento até à confirmação dos resultados negativos ao novo coronavírus.

No fim do mês, em 30 de outubro, o procedimento vai repetir-se, com a seleção de andebol masculina, para o estágio de estreia do selecionador Washington Nunes, tendo em vista a participação no torneio pré-olímpico, entre 12 e 14 de março de 2021, na Noruega, onde a seleção ‘canarinha’ vai defrontar Chile, Coreia do Sul e a seleção anfitriã.

Antes, a seleção brasileira vai disputar o campeonato do mundo, no Egito, entre 13 e 31 de janeiro, quando vai ter como adversários no Grupo B da primeira fase Tunísia, Espanha e Polónia, tal como a equipa das ‘quinas’, que vai defrontar, no Grupo F, Marrocos, Argélia e Islândia.

“Estar na Missão Europa será importante para manter o padrão de trabalho, de treino, e observar os jogadores que poderão ser convocados para o Mundial, principalmente depois desse período largo de inatividade por conta da pandemia. Os que estão na Europa já passaram pela pré-temporada e estão em treino”, referiu Washington Nunes, o técnico que levou o Brasil ao nono lugar no Mundial de 2019.

A Missão Europa do COB já envolveu várias modalidades, casos de atletismo, boxe, canoagem slalom, ciclismo BMX, esgrima, ginástica artística, ginástica rítmica, judo, natação (águas abertas, artística e pura), taekwondo, ténis, ténis de mesa, triatlo e vela, contando ainda como locais de estágio, além das localidades portuguesas, Pau, em França, e Belgrado, na Sérvia.

“Entendemos que o ambiente multidesportivo, com a presença de diversos profissionais e atletas de diferentes modalidades no local, pode trazer uma sensação de Jogos Olímpicos novamente e, assim, auxiliar as equipes na concentração em seus objetivos. Temos em Rio Maior um ambiente de alto rendimento, controlado e seguro para a prática das modalidades. Esse período será muito importante para a integração de todo grupo pensando nos próximos desafios competitivos”, afirmou o diretor-executivo de Alto Rendimento e Operações Internacionais do COB.

Igualmente citado pelo COB, o presidente do organismo e chefe da Missão Olímpica do Brasil a Tóquio2020, Marco La Porta, admitiu avaliar o prolongamento desta ação de preparação, tendo em conta a situação pandémica do país.

“Até o final do ano, devemos contemplar cerca de 200 atletas. E, se a situação não estiver melhorando no Brasil, podemos prorrogar até janeiro, fevereiro, o tempo que for necessário para garantir uma boa preparação. Faltando menos de 300 dias para os Jogos, a Missão Europa é um grande avanço na retomada da preparação com foco em Tóquio2020”, rematou La Porta.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar mais de 4,8 milhões de casos e 143.952 óbitos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.