O lutador Hugo Passos recebeu hoje a Ordem Surdolímpica, enquanto o jogador de boccia José Carlos Macedo, que deixou a competição após os Jogos Tóquio2020, foi distinguido com a Ordem Paralímpica, atribuídas pelo Comité Paralímpico de Portugal (CPP).

“O meu sentimento é de tristeza, porque a despedida foi muito recente, estamos a falar de sete pódios em Jogos Surdolímpicos. O que quero dizer é muito obrigado a todos”, referiu Hugo Passos, após ter recebido o prémio.

O lutador, que marcou presença nos Jogos Olímpicos Atenas2004, despediu-se da competição após os Jogos Surdolímpicos Caxias do Sul, disputados em maio passado, depois de ter conquistado uma medalha de bronze.

Aos 43 anos, Hugo Passos, que se estreou nos Jogos Surdolímpicas em 1997, soma um total de sete subidas ao pódio na competição, com quatro ouros, uma prata e dois bronzes.

O jogador de boccia José Carlos Macedo, que marcou presença em seis Jogos e conquistou seis medalhas paralímpicas, o médico Jaime Antunes, que integrou todas as missões a Jogos Paralímpicos desde Sydney2000, e o antigo ministro da Educação Tiago Brandão Rodrigues foram distinguidos com a Ordem Paralímpica.

As medalhas surdolímpicas foram entregues aos atletas medalhados nos Jogos Caxias do Sul, nos quais Portugal conseguiu 12 diplomas e quatro medalhas: o lutador Hugo Passos (bronze), a judoca Joana Santos (ouro) e o ciclista André (ouro e bronze).

Na Gala do CPP, foram distinguidos com medalhas de mérito, os atletas que conquistaram medalhas em competições europeias: André Ramos, Abílio Valente, Cristina Gonçalves, e Carla Oliveira, todos do boccia, os judocas Djibrilo Iafa e Miguel Vieira e o canoísta Norberto Mourão.

Também receberam medalhas de mérito, os atletas que se destacaram em campeonatos mundiais, nomeadamente o ciclista Luís Costa, os nadadores Diogo Cancela, Marco Meneses e Susana Veiga e a surfista Marta Paço.

Os treinadores Miguel Monteiro, Norberto Mourão, João Amaral Mendes e Ivo Quendera, respetivamente, receberam a insígnia paralímpica, enquanto José Marques, treinador do ciclista André Soares, e Júlio Marcelino, que orienta a judoca Joana Santos, foram agraciados com a insígnia surdolímpica.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.