O triatleta português Ricardo Batista, que se sagrou hoje campeão europeu de sub-23 de triatlo ‘sprint’, em Kitzbühel, na Áutria, destacou o esforço que colocou na ponta final da corrida para chegar ao primeiro lugar.

“Foi uma corrida bastante boa. Era impossível ser melhor, consegui o primeiro lugar no meu escalão”, disse à Lusa Ricardo Batista, revelando que partiu para a prova a acreditar que “podia ir ao pódio”, mas que alcançar a medalha de ouro era “uma ambição”.

O triatleta, de 20 anos, descreveu que se sentiu “forte” na natação, apesar de ter havido muito contacto na primeira boia, e que o segmento de ciclismo foi “bastante rápido, com curvas muito técnicas”, logo perigosas, e que as decisões ficaram guardadas para a corrida.

“Na primeira volta acusei um pouco o cansaço do ciclismo, e passei em terceiro do meu escalão, mas, na segunda volta, recuperei e consegui ultrapassar os meus adversários. Foi por um segundo, tive que dar tudo o que tinha e que não tinha até ao fim”, relatou.

Numa final muito disputada, o atleta luso (32.29 minutos) subiu ao lugar mais alto do pódio graças a uma vantagem de apenas um segundo sobre o alemão Tim Hellwig (32.30), vencedor da Bundesliga em Berlim na semana passada, e o bronze ficou para o britânico Connor Bentley (32.36).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.