A epidemia do coronavírus provocou a suspensão do Grande Prémio da China, previsto inicialmente para o próximo dia 19 de abril. Em comunicado oficial, a entidade responsável pela organização do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 informa que o promotor do evento solicitou à FIA o adiamento da prova, o qual foi concedido.

“A FIA e a Fórmula 1 continuam a trabalhar em conjunto com as equipas, o promotor e as autoridades da China para avaliar a situação e os seus desenvolvimentos. Todas as partes vão ter o tempo necessário para estudar a viabilidade de possíveis datas alternativas para a realização do Grande Prémio mais tarde no ano, caso a situação melhore”, refere a FIA em comunicado.

A federação esclarece que vai continuar a acompanhar a situação no que diz respeito a outros eventos motorizados.

“O Grande Prémio da China tem sido uma importante parte do calendário da Fórmula 1, com muitos adeptos apaixonados. A comunidade da Fórmula 1 espera voltar a correr na China o mais rápido e deseja a todos no país o melhor durante estes tempos difíceis”, conclui.

Há já algumas semanas que a Fórmula 1 acompanhava as informações e os acontecimientos sobre a questão e a decisão com que já muitos contavam surge agora: não haverá corrida em Shanghai. A cidade encontra-se a 800 quilómetros de Wuhan, epicentro da propagação do vírus.

Este adiamento, contudo, poderá significar que a corrida não se venha a realizar nesta temporada, visto não serem muitas as outras datas disponíveis no calendário. Desta forma, o recorde de 22 grandes prémios previsto para 2020 poderá não vir a ser quebrado, ficando-se a temporada pelas 21 corridas .

No calendário da época existem apenas três fins-de-semana livres no último terço da temporada, e o Grande Prémio de Abu Dhabi terá  de ser, por contrato, a última corrida da época.  Além disso, o grande prémio da China não é um evento fácil de levar a cabo a nível logístico, tornando-se ainda mais complicado numa altura em que o 'circo' já estará montado na outra metade do planeta.

Certo é, para já, que entre abril e maio haverá três semanas completas sem Fórmula 1 na temporada de 2020, entre o Grande Prémio do Vietname (marcado para 5 de abril) e o Grande Prémio da Holanda (agendado para 3 de maio).

O coronavírus tinha já também afetado a realização dos Mundiais de Atletismo deste ano, adiados para o ano seguinte, e cancelado o Grande Prémio da China de Fórmula E. Este será, assim o primeiro Grande Prémio de Fórmula 1 suspenso desde o GP do Bahrein de 2011, que na altura não se realizou em virtude da instabilidade política vivida na região, por alturas da 'Primavera árabe'.

O número de mortos na China continental devido ao coronavírus aumentou para 1.113, informou hoje a Comissão Nacional de Saúde chinesa.

De acordo com as autoridades de saúde de Pequim, o número total de mortos nas últimas 24 horas é de 97.

O número total de casos confirmados é de 44.653, dos quais 2.015 foram confirmados nas últimas 24 horas em território continental chinês.

As autoridades chinesas acrescentaram ainda que 451.462 pacientes foram acompanhados por terem tido contacto próximo com os infetados, dos quais 185.037 ainda estão sob observação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.