O piloto português Miguel Oliveira assumiu hoje que vai ser “fantástico correr em Portugal”, em 22 de novembro, na 14.ª e última etapa do Mundial de MotoGP, em declarações à agência Lusa.

“Esperava que a prova entrasse no calendário talvez em 2022 ou 2023, era um regresso possível. Mas esta situação pandémica veio alterar muito as coisas, as exigências de todas as caravanas dos campeonatos mundiais passam todas mais pela Europa, devido às restrições de viagem e acho que Portugal encaixou muito bem nesta fase, em que é necessário os promotores terem provas e os organizadores garantirem um mínimo de provas possíveis”, afirmou o único representante luso na categoria ‘rainha’ do motociclismo de velocidade.

O Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, vai receber em 22 de novembro a 14.ª e última prova do Mundial de MotoGP, depois do cancelamento das provas de Argentina, Tailândia e Malásia, devido à pandemia de covid-19.

“Apesar de tudo, em situação pandémica ou não, é fantástico correr em Portugal”, frisou o piloto natural de Almada, um dia depois de ter alcançado a melhor classificação de sempre numa corrida de MotoGP, ao terminar no sexto lugar em Brno, na República Checa.

Miguel Oliveira recusou ter vantagem por correr em “casa”, no Autódromo Internacional do Algarve (AIA)

“O traçado do Algarve tem muitos pontos onde é necessário conhecer bem, mas eu julgo que todos os pilotos se vão adaptar ao traçado. É, sem dúvida alguma, um dos melhores circuitos de todos o mundo, que oferece grande espetáculo e grande dificuldade técnica para o piloto e para a máquina”, explicou.

O piloto da KTM, atual 12.º classificado do Mundial, elogiou o circuito algarvio, acentuando a importância de receber a prova de encerramento do campeonato.

“O AIA está mais do que à altura para receber a prova do MotoGP, quer ao nível das instalações, que estão ao nível das melhores do mundo, como também de traçado. As provas finais são sempre fantásticas, há todo o espetáculo e pode querer dizer que existem títulos por discutir, e ter Portimão como esse palco é, sem dúvida, especial”, vincou.

Esta vai ser a 15.ª edição do Grande Prémio de Portugal de motociclismo, depois de 13 provas, entre 2000 e 2012, no autódromo do Estoril, e da estreia, em 1987, no circuito espanhol de Jarama.

O AIA vai receber também o Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, em 25 de outubro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.