Como líder do Mundial de Moto2, Miguel Oliveira falou esta quinta-feira na conferência de imprensa de lançamento do GP da Áustria, ao lado de Marc Márquez, Valentino Rossi, Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo.

O piloto português recordou Brno, e disse que "a corrida da Rep. Checa foi muito emocionante. A minha 1ª vitória do ano já tinha sido incrível, mas nesta houve muitas ultrapassagens e sinto-me bem ao chegar ao GP da Áustria, onde a nossa equipa (Red Bull) joga em casa, na liderança. Habitualmente, a minha 2ª metade do ano é forte e estou confiante".

"Precisamos de melhorar as qualificações. Em Brno correu melhor e espero que possamos manter este nível, uma vez que mudámos a estratégia. Não ter de ultrapassar 10 pilotos em meia volta já me ajudaria bastante a vida", afirmou bem-disposto.

Quanto ao MotoGP, Miguel Oliveira confessou que não está nos seus pensamentos, por enquanto. "Ainda não pensei em MotoGP, agora tenho de me concentrar em Moto2. Vai ser um sonho tornado realidade. E claro: também quero ser o melhor em MotoGP, mas tenho de trabalhar muito para isso", disse.

O piloto português é ainda estudante de Medicina Dentária e, em tom de humor, afirmou que "a prioridade são as corridas e depois tenho tempo para fazer outras coisas, mas falta muito para acabar, porque o curso é muito prático. Não consigo fazer certas cadeiras porque teria de ir às aulas. Espero que daqui a 20 anos, quando terminar a carreira, possa ser dentista. Espero não ter trabalho com os meus adversários. Não quero arrancar-lhes um dente".

No GP da Aústria do ano passado, Miguel Oliveira caiu mas já admitiu que, apesar desse episódio, este é um dos percursos favoritos. Este ano, o piloto arranca o Campeonato do Mundo de Moto2 na liderança, dois pontos à frente de Francesco Bagnaia que ocupa a segunda posição.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.