A aparente mais-valia de ter memória fotográfica acaba por conferir uma vida triste e solitária ao britânico Gus Greensmith (Ford Fiesta), que chegou a jogar nos escalões jovens do Manchester City e disputa o campeonato mundial de ralis.

A revelação foi feita pelo jovem piloto de 21 anos, natural de Manchester, na conferência de imprensa de lançamento do da 52.ª edição do Rali de Portugal, confirmando ter uma memória fotográfica, que lhe permite decorar todas as anotações para uma prova.

“40, topo, direita dois menos [referindo-se à posição do volante], abre, fecha para direita cinco mais”, exemplificou Gus Greensmith, sobre a superespecial de Lousada, que marca o arranque da sexta prova do Mundial de ralis.

“Pode dizer-se que é muito triste, não ter vida em casa, nem amigos”, ironizou o piloto, a propósito do ‘dom’ solitário de memorizar as notas de navegação.

Gus Greensmith, que defendeu a baliza do Manchester City nos escalões mais jovens do futebol dos ‘citizens’ e que se iniciou nos karts, em 2008, quando tinha 11 anos, é terceiro classificado no Mundial de WRC2.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.